Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 25 de setembro de 2018

Mulher de Mateus Solano diz torcer por beijo gay em Amor à Vida

13 JAN 2014Por tribunahoje11h:15

Casada com Mateus Solano desde 2011 – os dois estão juntos há seis –, Paula Braun vive em "Amor à Vida" um drama tão complexo quando o de Félix, o vilão interpretado pelo marido, que agora passa por um longo e doloroso, ainda que divertido, processo de redenção. Na história, a atriz é Rebeca, uma judia apaixonada por um palestino, personagem de Mouhamed Hafouch. A relação não é aprovada pela família de ambos por causa das diferentes origens de ambos e dos conflitos que existem entre os povos. A partir disso, surgem as desventuras do casal. Em conversa com Flashland, Paula comentou o que considera um papel cheio de significados. 

"Acho válido falar sobre diferenças. Aqui é religiosa, mas poderia ser de cor, de classe social, cultural. Não acredito em verdade absoluta, e as diferenças precisam ser respeitadas", afirmou ela, que conta com a vida real como uma inspiração para o trabalho. "Já fui a jantar de Pessach (páscoa judaica), ao Yom Kipur (dia do perdão), frequento o shabat (missa de sexta-feira)", revelou a atriz, explicando que Solano tem origem judaica. "Além disso, busquei livros que contam a história do povo, as peregrinações, as divisões culturais e perseguições que eles sofreram. Espero que meu trabalho esteja à altura do que a comunidade judaica merece", refletiu ela, que deseja ver Rebeca feliz no amor. 

"Torço para que fiquem juntos. Mas torço para que cada um tenha a sua religião, o seu jeito e que respeite no outro a diferença", reforçou. "A grande maioria (do público) torce pelo casal. Acho essa a maior vantagem de fazer novela. Esse retorno imediato. Tanto nas ruas quanto nas redes sociais. Fico muito feliz e agradecida", contou ela, que aproveitou a conversa para comentar a interpretação arrebatadora do amado na pele de Félix. 

"Muitas pessoas me ligaram depois que o Félix assumiu ser homossexual. Uma delas me disse que não falava com a mãe há dez anos e depois desse capítulo a mãe resolveu telefonar", lembrou Paula, que não reduz a homossexualidade do personagem à exibição ou não do polêmico e esperado beijo gay na TV – nas últimas semanas, com a aproximação do filho de Pilar (Susana Vieira) e Niko (Thiago Fragoso), a expectativa sobre o tema só cresceu.

"Acho que ele (beijo gay) será mostrado quando a sociedade amadurecer como um todo. Torço para que role o beijo gay. Mas torço que role beijos gays nas praças, nos cinemas, em qualquer lugar público. Torço para que casais possam andar nas ruas de mãos dadas sem sofrer discriminação. E sonho mais ainda para que não precisemos falar ‘beijo gay'. Porque beijo é beijo, independentemente de quem dá. Não existe categoria", analisou a bela, que, no entanto, confessa não falar muito sobre a novela com o marido. "Raramente passamos o texto juntos por uma questão de tempo mesmo. Somos de núcleos diferentes. Apenas vemos as cenas um do outro juntos e comentamos o que poderia ser melhor. Respeitamos o trabalho de cada um", contou ela, que, aos 34 anos, não chama a atenção apenas de Solano: a boa forma da atriz é de dar inveja.

Magra desde a adolescência, característica que não perdeu mesmo após a gravidez de Flora, de dois anos, Paula chegou a sofrer bullying por causa da estrutura corporal. "Foi sofrido na época. Mas não foi o fim do mundo. Hoje em dia é muito mais violento. Tudo acaba na internet. Para um adolescente que está formando o caráter e passando por essa fase de insegurança, isso é muito grave", afirmou ela, que se cuida sem privações. "Não pretendo ficar com o abdômen trincado ou pesar 20 kg a menos. Só quero ser saudável e viver muitos e muitos anos. Se eu quiser comer doce, eu como."

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também