Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 13 de novembro de 2018

Defensoria pública

Mulher busca ajuda para conseguir mudança de sexo na Capital

4 SET 2012Por Gabriel Maymone17h:00

No Centro de Referência em Direitos Humanos de Prevenção e Combate à Homofobia (Centrho), em Campo Grande, Elizabete dos Santos Rocha, de 42 anos, busca ajuda para conseguir a cirurgia de mudança de sexo. Por ter nascido hermafrodita, com os dois órgãos sexuais, aos sete anos, passou por um procedimento cirúrgico que fez a remoção do órgão masculino.

No entanto, conforme Elizabete, a escolha em manter a identidade sexual feminina não respeitou a sua vontade. “Desde criança meu comportamento e identificação é com o sexo masculino. Realizar a cirurgia para reverter essa situação é mudar toda minha vida”, explica.

O próximo passo após a mudança do órgão sexual será a do nome. Tímida, ela aguarda o procedimento para deixar Elizabete no passado e assinar como Eliaquim. “Eu quero conseguir primeiro essa primeira etapa, aí depois mudar o nome”, destaca a autônoma.

O caso de Elizabete, conforme explica a Defensora Pública de Segunda Instância, Vera Regina Prado Martins, é o primeiro registrado nos atendimentos do Centrho. “É um caso que se diferencia dos que temos atendido e, certamente, serão tomadas todas as medidas judiciais para assegurar o tratamento que se faz necessário, de tal forma a respeitar a dignidade da nossa assistida”, argumenta a defensora pública.

No mês de julho deste ano foram realizadas quatro orientações de pessoas que buscaram auxílio jurídico para ter o nome feminino nos registros civis.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também