Quarta, 21 de Fevereiro de 2018

apreensões

Muitas armas retornam ilegalmente ao Brasil

21 DEZ 2010Por VÂNYA SANTOS 01h:45

Mato Grosso do Sul registrou 28,13% do total de apreensões de armas brasileiras exportadas que voltaram irregularmente para o Brasil. São armas de uso restrito das forças armadas e segurança pública – como fuzil, metralhadora e pistolas – que foram exportadas, geralmente para Paraguai e Bolívia, e posteriormente retornaram ao Brasil por meio do chamado tráfico formiguinha. Isso é chamado de efeito bumerangue e o índice apresentado pelo Estado é o maior registrado no Brasil. Este dado foi apontado pela pesquisa da Organização Não Governamental (ONG) Viva Rio sobre o mercado ilegal e legal de armas, divulgada ontem pelo Ministério da Justiça.

De acordo com o pesquisador Júlio César Purcena, normalmente o armamento exportado regressa em carros de passeio e muitas vezes escondido em mercadorias adquiridas em países vizinhos, como roupas e brinquedos. O percentual de 28,13% foi o maior encontrado entre os estados analisados. Para o pesquisador, o fato pode ser atribuído a facilidade no retorno das armas por meio das fronteiras de Mato Grosso do Sul com Bolívia e Paraguai, além da grande demanda por armas de maior potencial.

Desarmamento
Consta na pesquisa que durante a primeira campanha de desarmamento, que aconteceu em 2004 e 2005, o Estado registrou a entrega de 4.844 armas. No entanto, na segunda campanha promovida entre 2008 e 2009, apenas 932 armas foram entregues. A participação da sociedade na primeira campanha recolheu meio milhão de armas em todo o Brasil, mas participação mais tímida na segunda campanha reduziu as entregas para 30,7 mil unidades.

Em 2008 foram regularizadas 3.771 armas em Mato Grosso do Sul contra 23.847 em 2009. No País, foram legalizadas 1.408.285 neste mesmo período. (VS)

Leia Também