Domingo, 18 de Fevereiro de 2018

Júlio de Castilhos

Mudança prevê fim de estacionamento e novas calçadas

13 DEZ 2010Por DANIELLA ARRUDA01h:30

Obras de revitalização da Avenida Júlio de Castilhos, com início previsto para o primeiro semestre do ano que vem, pretendem trazer soluções de natureza definitiva para o trânsito conturbado da via, mas algumas das medidas previstas prometem causar polêmica entre comerciantes e moradores. Entre elas, está a retirada dos estacionamentos laterais, intervenção que envolverá amplo trabalho de regularização de calçadas e do alinhamento predial, semelhante ao que foi realizado na Avenida Eduardo Elias Zahran, sete anos atrás, e mais recentemente, embora em menor escala, na Rua Ceará. "Será uma obra trabalhosa, de difícil execução", prevê o secretário municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação, João Antônio De Marco.

A intenção, explicou, é executar os serviços quadra por quadra ao longo dos 6,5 quilômetros que passarão pela intervenção – entre a rotatória com a Orla Morena e Avenida Marechal Rondon até a Avenida Capibaribe, região do Bairro Silvia Regina – , providenciando as alternativas de trânsito específicas para cada trecho. Isso porque a Júlio de Castilhos não oferece rotas naturais para desvio do tráfego, que acaba sendo escoado, em sua maioria, pela Avenida Duque de Caxias ou pela Avenida Euler de Azevedo, por meio da Avenida Presidente Vargas.

Além disso, segundo o secretário, as equipes encontrarão no trajeto muitas interferências, como rede de energia, água, esgoto e telefonia, o que também influirá no ritmo das obras. A duração estimada dos trabalhos é de pelo menos um ano.

Intervenções
No trabalho de reordenamento viário, haverá ainda o realinhamento, reforma, recomposição paisagística e rebaixamento de guias para fins de acessibilidade do canteiro central da via, que hoje existe somente a partir do cruzamento com a Avenida Presidente Vargas. A largura da pista passará por redimensionamento, variando de acordo com o trecho; em alguns deles, por exemplo, o canteiro terá 2 metros de largura e as duas pistas somarão 6,5 metros.

Também serão retiradas as rotatórias e os trevos existentes e esses cruzamentos passarão a ser semaforizados. "Ficarão proibidas as conversões à esquerda em toda a extensão da Júlio de Castilhos", destacou o secretário. Reorganização dos 38 pontos de ônibus existentes, juntamente com a construção de um novo sistema de drenagem e recapeamento da via em todo o trecho revitalizado também integram os principais pontos do projeto. (DA)

Leia Também