Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

COMUNITÁRIO

MS terá Conselho de Segurança Indígena

30 MAR 2011Por da redação00h:02

Nos próximos dias deverá ser publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) a instituição do Conselho Comunitário de Segurança Indígena. A iniciativa da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), por meio da Coordenadoria Estadual de Polícia Comunitária, cria o 39º conselho comunitário de segurança no Estado, sendo o 15º na Capital.

A novidade é que o mais novo conselho comunitário contará com a participação de membros moradores de quatro comunidades indígenas de Campo Grande: Aldeia Urbana Marçal de Souza, Aldeia Urbana Darcy Ribeiro, Comunidade Indígena Água Bonito e Comunidade Indígena Tarsila do Amaral.

Ontem, os 21 futuros membros indígenas do conselho participaram de uma reunião na Sejusp com o coordenador estadual de Polícia Comunitária, tenente-coronel Carlos de Santana Carneiro, para conhecer as diretrizes, a função dos conselhos comunitários nas comunidades. “Este conselho será importante para buscar a integração dos policiais com as comunidades indígenas e por meio de reuniões, debates sobre a segurança pública, vamos fazer a integração também de comunidades vizinhas”, explicou Santana.

Com o lema “Comunidade tranquila, um futuro melhor: integração e cidadania”, o novo conselho comunitário de segurança já tem data definida para a primeira reunião. No dia 3 de maio, haverá reunião com a comunidade do Tarsila do Amaral e Água Bonita, na Oca Comunitária Cultura, localizada entre as duas comunidades.

De acordo com o tenente-coronel Santana, o primeiro encontro terá a participação também de membros da segurança pública como Polícia Militar, Civil e do Corpo de Bombeiros. “Nesta reunião os moradores vão conhecer o conselho comunitário e vamos ouvir as reivindicações, além de apresentar estratégias e sugestões”, informou.

O presidente do novo conselho já foi definido pelos membros e será o cacique da 1ª Aldeia Urbana Marçal de Souza, Ênio de Oliveira Metelo. O coordenador estadual de Polícia Comunitária lembrou que a iniciativa da criação do conselho comunitário de segurança indígena começou desde um convite da Coordenadoria ao cacique Ênio, no ano de 2009, para participar do curso de polícia comunitária.

Conselhos

Os Conselhos Comunitários de Segurança (CCs) são grupos de pessoas de uma mesma comunidade que se reúnem para discutir, analisar, planejar e acompanhar a solução de seus problemas de segurança. Hoje, são 39 conselhos no Estado, sendo 15 na Capital.

Cada conselho é composto por 23 membros efetivos, sendo três membros natos: um representante da Polícia Civil, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar; cinco indicados pela comissão de assessoria comunitária e 15 indicados pela comunidade local.






 

Leia Também