Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MS supera média do Centro-Oeste no acompanhamento do Bolsa Família

MS supera média do Centro-Oeste no acompanhamento do Bolsa Família
26/08/2009 21:00 -


     

 

Os municípios de Mato Grosso do Sul superaram as médias apresentadas pela região Centro-Oeste para o acompanhamento das condicionalidades do programa Bolsa Família no primeiro semestre deste ano. O acompanhamento escolar de crianças de 6 a 16 anos realizado no Estado foi de 89,28%, superior à média nacional, que é de 75,72%, e os 85,85% apresentados pela região Centro-Oeste.

 

A superioridade das médias alcançadas também se destaca no acompanhamento da saúde, que foi de 59,41% das 113.780 famílias beneficiadas pelo programa no Estado, pouco abaixo dos 63,08% da média nacional apresentada. O percentual de acompanhamento da saúde em toda a região Centro-Oeste foi de 56,07%. Em todo o País foram visitadas mais de 6,1 milhões de famílias, sendo 59 300 em Mato Grosso do Sul.

 

O objetivo das condicionalidades é responsabilizar, caso não sejam cumpridas, de forma conjunta os beneficiários e o poder público, implementar políticas de acompanhamento para garantir o acesso aos serviços das famílias mais excluídas e vulneráveis.

 

O acompanhamento é realizado de forma conjunta pelos ministérios do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), da Saúde e da Educação. Nos municípios, deve ser feito de forma articulada entre as áreas de Assistência Social, Saúde e Educação.

 

O Programa Bolsa Família tem três tipos de benefícios: o Básico, no valor de R$ 62,00 pago às famílias consideradas extremamente pobres, com renda mensal de até R$ 69,00 por pessoa; Variável - no valor de R$ 20,00 -  pago às famílias com renda mensal de até R$ 137,00 (por pessoa), desde que tenham crianças e adolescentes de até 15 anos; e o Variável Vinculado ao Adolescente (BVJ), no valor de R$ 30,00 pago às famílias com adolescentes de 16 e 17 anos freqüentando a escola.

 

Felpuda


Considerados “traíras” por terem abandonado o barco diante dos indícios da chegada da borrasca à antiga liderança, alguns pré-candidatos terão de se esforçar para escapar da, digamos assim, vingança, velha conhecida da dita figurinha. Dizem por aí que há promessas nesse sentido, para que os resultados dos “vira-casacas” nas urnas sejam pífios. Sabe aquela velha máxima: “Pisa. Mas, quando eu levantar, corre!” Pois é...