Campo Grande - MS, quinta, 16 de agosto de 2018

PARCERIA

MS poderá ter Instituto de cultura chinesa

23 ABR 2011Por da redação12h:00

Há dois anos Mato Grosso do Sul vem articulando assuntos inerentes à agenda de cooperação internacional com o governo chinês. Recente reunião com a Embaixada da China, realizada dia 15 em Brasília, sinalizou a possibilidade da instalação do Instituto Confúcio no Estado para o ensino da língua, divulgação da cultura e da história da China. A viabilização desse projeto seria o ápice da cooperação educacional entre Mato Grosso do Sul e aquele país.

O Assessor de Assuntos Internacionais vinculado a Secretária de Estado de Desenvolvimento Agrário, produção, Indústria, Comércio e Turismo (Seprotur), Paulo Diniz Swerts, representou o Estado na ocasião da reunião com o conselheiro cultural da Embaixada, ShuJianPing. Segundo ele explicou ao senhor Shu, a visita do Governador Andre Puccinelli em 2009 à China já possibilitou um projeto de cooperação entre o Governo do Estado e a Província de JiangXi.

Um primeiro resultado público dessa aproximação foi a união de esforços entre as Universidades UNAES Anhanguera, Universidade Federal do Estado (UFMS) e a universidade Normal da Província de JiangXi. A iniciativa possibilitou há dias atrás a realização de uma palestra sobre "Cultura Chinesa: língua, caligrafia e história do intercambio cultural da China com o Mundo", com a professora JING CHENG - Professora do Instituto Confúcio. Ainda através da cooperação com a Província de JiangXi, representantes do governo e da Universidade de JiangXi chegam ao Estado no próximo mês para firmar um acordo definitivo para troca de docentes, previsto para iniciar no segundo semestre deste ano.

Shu elogiou a iniciativa do Estado em realizar este tipo de cooperação com a China. “Esta é uma iniciativa que fará a diferença nas relações entre Estados brasileiros [em especial MS] e a China num futuro próximo” disse ele, referindo-se ao fato de que cada vez mais será necessário contar com pessoas capacitadas, a lidarem com os assuntos inerentes à agenda de cooperação internacional.

A estratégia adotada pelo governo chinês, na autorização para a instalação do Instituto Confúcio, é de alcançar um maior numero de regiões possíveis para ter uma abrangência nacional. O governo chinês planeja a instalação de um total de 15 Institutos Confúcio no Brasil. Hoje em dia existem três em funcionamento (UNESP - São Paulo, UNB - Brasília e PUC - Rio de Janeiro), e será instalado mais um na UFRGS - Rio Grande do Sul, que acabou de ganhar a autorização do governo chinês durante a visita da presidente Dilma Rouseef a China. A intenção, segundo Shu, é instalar outro na região nordeste ficando, a região Centro-Oeste, somente com o instituto de Brasília.

Entretanto, Shu foi enfático ao falar que Mato Grosso do Sul estará à frente dos outros Estados da federação que vierem a pleitear o Instituto futuramente, pois já terá um acordo de cooperação educacional funcionando efetivamente dentro das regras de beneficio mútuo que regem o campo das relações internacionais. Por fim, Shu colocou um acervo de obras chinesas a disposição do governo de Mato Grosso do Sul para a realização de exposições, e também doou livros e DVDs para o ensino da língua e cultura chinesa no Estado.

Antecipando o pleito, Paulo Swerts visitou o Instituto Confúcio da UNB - Brasília no último dia 18 e conversou com o diretor do instituto, senhor Chen Jia Ying, para saber quais os procedimentos, estratégias e estrutura foram necessários para implantação do Instituto na UNB.

Leia Também