ECONOMIA

MS está entre os estados que mais reciclam embalagens de agrotóxicos

MS está entre os estados que mais reciclam embalagens de agrotóxicos
21/07/2010 20:53 -


Cícero Faria, Dourados

Mato Grosso do Sul ficou em oitavo lugar entres os Estados produtores de grãos no quesito de recolhimento de embalagens vazias de agrotóxicos, no primeiro semestre deste ano, de acordo com levantamento divulgado ontem pelo INPEV (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias), a entidade que representa a indústria fabricante de defensivos agrícolas.
De janeiro a junho, tiveram destino ambientalmente correto –reciclagem ou incineração, um total de 1.208 toneladas de recipientes herbicidas, fungicidas e inseticidas, principais agroquímicos usados nas lavouras. O aumento em relação ao mesmo período de 2009 (1.017 toneladas) foi de 18%.
Em nível nacional, no semestre foram recolhidas, 16.837 toneladas de embalagens vazias que saíram das unidades de recebimento de todo o País para o seu destino final, crescimento de 19%. Cerca de 94% do volume encaminhado foi para reciclagem.
Em volume, Mato Grosso (3.762 t), Paraná (2.312 t), São Paulo (2.064 t), Goiás (1.998 t) e Minas Gerais (1.478 t) foram os Estados que mais retiram do campo embalagens vazias de agrotóxicos. Em seguida vêm Rio Grande do Sul (1.433 t), Bahia (1.244) e Mato Grosso do Sul (1.208 t). O Pará foi o Estado com  menor recolhimento: 16 toneladas.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".