Segunda, 19 de Fevereiro de 2018

ARMAMENTO

MS apreende mais de 5 armas por dia, aponta pesquisa

21 DEZ 2010Por VÂNYA SANTOS 01h:35

A média anual de apreensão de armas em Mato Grosso do Sul é de 1.967 unidades, se analisadas as apreensões feitas no período de 2003 a 2008, conforme pesquisa da Organização Não-governamental (ONG) Viva Rio. Isso dá uma média de 5,38 armas por dia ou 164 por mês. São Paulo lidera o ranking com média de 30.872 apreensões por ano, seguida de Minas Gerais com 17.224.

Para cada mil armas que circulam em Mato Grosso do Sul, apenas nove são apreendidas, ou seja, menos de 1%. Cerca de 68,7% das armas apreendidas no Estado são do tipo revólver, seguido de armas longas para caça (24,9%) e pistolas (5,8%).

Pesquisa
Pesquisadores do Viva Rio analisaram cerca de 288 mil armas apreendidas no Brasil entre 1982 e 2008 e apontaram que armas estrangeiras não representam 20% do total de apreendidas, o que desmente informações de que o armamento ilegal é fabricado em outros países. "Vincula-se normalmente o crime com a arma ilegal, mas cerca de 30% das armas apreendidas em situação ilegal foram legalmente compradas. Sem controle do mercado, o canal está aberto para que as armas mergulhem na clandestinidade e no crime", descreve a pesquina.

Cerca de 70% das armas de fogo apreendidas em Mato Grosso do Sul foram fabricadas no Brasil. No Estado da Bahia, 97,5% das armas retiradas de circulação são brasileiras. Já em Pernambuco, esse índice é de 85,5%. Conforme a ONG, 30% das armas apreendidas foram compradas de maneira legal, sendo que mais de 80% do total das unidades são brasileiras.

Líder
O Brasil é o campeão mundial em números de mortes por arma de fogo, com registro médio de 34,3 mil casos por ano. O País também é o sexto exportador de armas pequenas, perdendo apenas para os Estados Unidos, Rússia, China, Alemanha e Itália.

Cerca de 80% das armas apreendidas são de baixo calibre, como pistola, revólver e espingarda, mas a maioria das armas de uso restrito e proibido para civis que circulam no Brasil vieram dos Estados Unidos e do Paraguai. A pesquisa aponta ainda que o controle da entrada de armas no País "está longe de ser satisfatório" em razão da grande extensão de fronteira, harmonização de leis e troca de informações entre os países que compõem o Mercosul.

Dados do Sistema Nacional de Armas (Sinarm), até setembro deste ano, revelam que cerca de 16 milhões de armas estão em circulação no Brasil. Deste total, 14 milhões (87%) estão em poder da sociedade civil, enquanto dois milhões (13%) sob a responsabilidade do Estado. Cerca de 7,6 milhões (47,6) de armas estão em situação ilegal e 8,4 milhões (52,4%) estão regularizadas. Os dados foram fornecidos pela Secretaria Nacional de Segurança Pública, com base em informações repassadas pelas secretarias estaduais de segurança.

Leia Também