MPF quer a suspensão do Programa Nacional de Segurança Pública em MS

MPF quer a suspensão do Programa Nacional de Segurança Pública em MS
05/11/2009 13:52 -


     

O Ministério Público Federal (MPF) em Dourados (MS), recomendou, hoje,  ao secretário-executivo do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), Ronaldo Teixeira da Silva, a suspensão do repasse de recursos federais do programa para o governo de Mato Grosso do Sul. O órgão alega que o governo estadual descumpriu as diretrizes e não atendeu os focos prioritários dos programas, projetos e ações estabelecidos como critérios para adesão ao programa, principalmente quanto ao atendimento às comunidades indígenas.

Cita como exemplo que apenas nas aldeias Jaguapiru e Bororó, situadas em Dourados, região sul do Estado, a taxa de homicídios ?é de 145 por cem mil habitantes, seis vezes maior que a média nacional?. Para o MPF, somente esses dados demonstram a omissão do governo estadual na garantia de segurança pública a essas populações. A recomendação deve ser respondida em cinco dias, a partir de seu recebimento. Se não for acatada, o MPF poderá adotar providências administrativas e judiciais para fazer valer o bloqueio dos recursos.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".