Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

MPF pede reforço à Polícia Federal para evitar confronto na Fazenda Petrópolis

5 DEZ 09 - 09h:00
     O Ministério Público Federal pediu ontem (4) à Polícia Federal "a adoção de medidas e diligências preventivas para evitar a ocorrência de conflitos" em Miranda, onde um grupo de índios terena ocupa a Fazenda Petrópolis, ded propriedade do ex-governador Pedro Pedrossian. Os índios denunciaram ameaças por parte de proprietários rurais.

Para o MPF, "diante do perigo iminente e real de ocorrência de violentos conflitos entre os indígenas que retomaram a Fazenda Petrópolis e os fazendeiros locais, os quais deixam cada vez mais explícita a sua intenção de utilizar a força e a violência para resolver a questão possessória, o que pode resultar na perda de vidas, tanto do lado dos indígenas como do lado dos fazendeiros, é feito o presente encaminhamento".

As ameaças aos indígenas aumentaram após o Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3) ter suspendido, nesta terça (1), a decisão liminar de reintegração de posse da fazenda, autorizando, assim, a permanência dos indígenas na área.

Com informações de assessoria

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

POLÊMICA

Lei que cria gratificação para juízes e desembargadores é publicada

Medida aumentaria ganhos dos magistrados em 20%, o que dá quase R$ 8 mil
Acidente entre carro e caminhão mata homem de 39 anos na BR-163
RODOVIA

Acidente entre carro e caminhão mata homem de 39 anos na BR-163

MUDANÇAS

Publicada Reforma da Previdência de MS; novas regras valem em 90 dias

Casa de Leis aprovou ontem o texto da Emenda à Constituição Estadual
DECISÃO DO STF

Lei de MS que criou conta única para depósitos judiciais é inconstitucional

Justiça fica com juros que sobram após entregar dinheiro de indenizações e ressarcimentos

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião