Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MULHER

MPE lança campanha contra violência

MPE lança campanha contra violência
14/03/2014 15:45 - DA REDAÇÃO


O Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul lançou hoje (14), dentro da programação do Dia Internacional da Mulher comemorado no dia 8 de março, a Campanha 2014 do MPMS “Quebre o Silêncio” para o enfrentamento da violência doméstica e familiar contra a mulher.

A abertura do evento aconteceu na Procuradoria-Geral de Justiça, no Parque dos Poderes, pelo Procurador-Geral Adjunto de Justiça Administrativo João Albino Cardoso Filho. Em seguida foi realizado o lançamento da campanha, que tem como responsável o Procurador de Justiça Francisco Neves Junior, Coordenador do Núcleo de Enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, vinculado ao Centro de Apoio Operacional Criminal do MPMS.

Na oportunidade o Procurador de Justiça Francisco Neves Junior disse que a campanha está centrada no incentivo à denúncia de situações de violência e no estímulo para que as mulheres mantenham-se firmes quanto à necessidade de responsabilização de seus parceiros pelos atos que praticaram, buscando a efetivação da Lei nº 11.340/2006, conhecida como Lei Maria da Penha.

O Procurador afirmou, ainda, que “a violência contra as mulheres não está confinada a uma cultura, uma região ou um País específico, nem a grupo de mulheres em particular dentro de uma sociedade”. Lembrou que “as raízes da violência contra as mulheres empobrece a mulher, prejudica as famílias e a sociedade e comunidades de todas as gerações e reforça outros tipos de violência predominantes na sociedade”.

Segundo o Francisco Neves Junior, “neste contexto, nenhum Governo escapa da vergonha de coexistir com esses crimes; e é responsabilidade de cada Município, cada Comarca, cada Estado da Federação e cada Nação confrontrá-lo”.

Felpuda


Tudo indica que o MDB não conseguiu convencer o PSDB de iniciar namoro com vistas a casamento nas eleições, e a ideia teria sido descartada. Os tucanos demonstraram que o problema deles não é o cargo: os emedebistas ofereceram a vaga de vice na disputa à Prefeitura de Campo Grande, a mesma cobiçada pelos tucanos, mas na chapa do PSB do atual prefeito. A questão, politicamente falando, seria, digamos, o oferecido “noivo”. Afe!