Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Comissão da Verdade

MP prorroga prazo de funcionamento

29 DEZ 13 - 00h:00folhapress

O Congresso analisa a medida provisória que prorroga por sete meses o prazo de funcionamento da Comissão Nacional da Verdade. A lei que criou a comissão para examinar e esclarecer as violações de direitos humanos ocorridas durante o período de ditadura militar no Brasil, previa a conclusão das atividades após dois anos de sua instalação, que seriam completados em maio de 2014. As informações são da Agência Câmara.

A MP altera essa lei e fixa o dia 16 de dezembro do próximo ano como novo prazo para a apresentação do relatório final.

Publicada na quinta no Diário Oficial da União, a medida determina ainda o aumento na remuneração de servidores das agências reguladoras e de outros órgãos federais, como do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), da Funai (Fundação Nacional do Índio), do Hospital das Forças Armadas e do Departamento Nacional de Produção Mineral.

O reajuste salarial também valerá para os servidores anistiados que retornaram ao serviço público, beneficiados pela lei 8.878/94. Eles receberão aumento de 10,25 % em janeiro de 2014; e de mais 5%, em janeiro de 2015.

Alteração
A MP também altera a lei 8.112/90, que trata do regime jurídico dos servidores públicos, para determinar que o servidor que for removido a seu próprio pedido não receberá ajuda de custo. A ajuda de custo, destinada a compensar as despesas de nova instalação do servidor removido, só será concedida quando o servidor for removido de ofício, por interesse da Administração. 

Outra alteração permite que o servidor se ausente do serviço pelo período comprovadamente necessário para alistamento ou recadastramento eleitoral, limitado, em qualquer caso, a dois dias. Hoje a lei permite a ausência do servidor para doação de sangue; para se alistar como eleitor; para casamento; ou no caso de falecimento de cônjuge ou parente próximo.

A medida também estabelece condições para a realização dos exames médicos periódicos do servidor. Pelo texto, esses exames poderão ser prestados diretamente pelo órgão ou entidade a qual é vinculado o servidor; por meio de convênio ou parceria com outros órgãos ou entidades da administração pública; por meio de convênios com operadoras de plano de saúde; ou por meio de contrato administrativo.

Contratos
A MP também autoriza a prorrogação, até 31 de julho de 2014, dos contratos por tempo determinado do Ministério da Justiça para atender à necessidade temporária de excepcional interesse público no âmbito da Secretaria Nacional de Segurança Pública. Já o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome ficará autorizado a prorrogar, até o prazo de 11 de agosto do próximo ano, os contratos por tempo determinado.

Ainda segundo o texto, os contratos temporários do Ministério do Turismo poderão ser prorrogados até 30 de setembro de 2014. Por fim, o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão ficará autorizado a prorrogar, até 31 de dezembro de 2014, os contratos por tempo determinado para atender a necessidade temporária de excepcional interesse público da Secretaria de Patrimônio da União.

Tramitação
A MP será analisada por uma comissão mista de deputados e senadores e terá que ser votada pelos plenários da Câmara dos Deputados e do Senado. 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

OPINIÃO

Calos Lopes dos Santos: "Primeiro a educação, depois as leis"

Advogado

Felpuda

BRASIL

Após novo caso, Brasil perderá status de país livre do sarampo

BRASIL

Delegado da Baixada Fluminense atuará na 2ª fase do caso Marielle

Mais Lidas