CARNAVAL

Movimento na Rodoviária da Capital deve dobrar neste feriadão

Movimento na Rodoviária da Capital deve dobrar neste feriadão
27/02/2014 00:00 - DA REDAÇÃO


A administração do Terminal Rodoviário de Campo Grande espera dobrar o movimento de passageiros durante o feriadão prolongado de Carnaval. A expectativa é de que 30 mil pessoas passem pelo terminal durante os cinco dias de festa – uma média diária de seis mil embarques ou desembarques. Em dias normais, este número fica entre 3,8 mil e 4 mil passageiros, segundo reportagem na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Até à tarde de ontem, já havia a confirmação de 66 ônibus extras, para atender à alta temporada. Segundo o supervisor do terminal, Luciano Silva de Oliveira, os destinos mais procurados no Estado são Corumbá, Bonito e Rio Verde. Para fora a procura é por São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná.

As estudantes Aline Santos, 18 anos, e Rayssa Giordano, 16 anos, embarcaram ontem para Corumbá, na região Oeste do Estado, onde todos os anos costumam passar os dias de folia. “O Carnaval lá é muito bom”, disse Aline.

As duas resolveram viajar um dia antes do início do desfile de blocos, que começa nesta quinta-feira, para dar tempo de providenciar as fantasias. “Já até compramos as abadás”, completou Rayssa, que por ser menor de idade precisou de autorização especial da mãe, para o embarque. A reportagem é de Rafael Bueno.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".