Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 17 de outubro de 2018

Movimente-se e viva melhor

4 MAI 2010Por 07h:03
SCHEILA CANTO

Já se sabe que as atividades físicas são indicadas para amenizar o estresse, melhorar a circulação, perder peso e ter uma vida mais saudável. Mas o que muitas pessoas ainda não sabem é do poder do exercício físico no combate à ansiedade, ao estresse e principalmente a uma doença que tem atingido cada vez mais a população de todas faixas etárias: a depressão.

O grande problema da depressão é que ela nunca chega sozinha, geralmente vem acompanhada de ansiedade, insônia, distúrbios alimentares, doenças autoimunes, entre outros. Esse sentimento de tristeza profunda pode ser causado por algum problema pontual ou por uma insatisfação geral diante da vida e fica a sensação de que não há nenhum caminho a seguir.

Para combater esse desânimo e apatia de maneira natural, nada melhor do que os exercícios físicos. Eles proporcionam bem-estar, já que durante qualquer atividade que movimente o corpo, o organismo produz endorfina e serotonina, neurotransmissores que amenizam a dor e traz prazer, enfatiza a psicóloga Silvia Nakamatsu. “Quando essas substâncias circulam pelo corpo, melhoram a memória e a disposição física e mental, deixam o sistema imunológico mais forte contra doenças oportunistas e tendem a amenizar a sensação de tristeza e desânimo. A dança ainda traz outros benefícios específicos como: melhora no relacionamento e comunicação interpessoal e a segurança”, complementa a psicóloga.

Outros benefícios adquiridos com a prática constante da atividade física também estão relacionados à sexualidade, pois ajudam a melhorar o desempenho sexual na medida em que regulam as principais funções orgânicas do corpo, como pressão arterial, batimentos cardíacos e a circulação sanguínea.
Segundo Ivan de Souza, professor de educação física e presidente da Associação Sul-Mato-Grossense de Dança de Salão (Asdanças), para que os efeitos sejam alcançados é necessário que a pessoa pratique exercícios regularmente, contando com o incentivo de alguém próximo. “A dança é uma excelente opção contra a depressão, pois eleva a autoestima, melhora a postura, a expressão, a socialização, diminui o estresse a ansiedade e ainda tem inúmeros benefícios no aspecto físico e cardiorrespiratório”, enumera Ivan.

Por outro lado, Ivan destaca que pessoas depressivas não gostam de ficar muitas horas dentro de academia cheia de gente, por isso, o ideal é buscar atividades que possam ser feitas em 50 minutos e, em turmas, menores. “Outro empecilho para muitos é a falta de tempo. Por isso, é adequado que as academias tenham boa disponibilidade de horários para atender essa demanda”, argumenta.

Ao falar sobre o poder transformador da dança, a médica Maysa Gutierrez Vilela, ressalta: “Sempre gostei de dança, mas nunca fiz um curso. Adoro dançar. Sem falar no prazer, no benefício físico e na socialização”.

O estudante de direito Jaime Henrique Melo comenta que dança há um ano e nesse tempo sentiu muitas mudanças. “Aprendi a dançar, minha autoestima, o humor, o ego, tudo mudou”, empolga-se. O estudante de veterinária Daniel Sil Garcia também ressalta as mudanças que obteve por meio da dança. “Eu era muito tímido, introvertido e com as aulas passei socializar-me mais, foi um grande avanço para mim”, conclui.
Agora se você acha que tem sintomas de depressão, timidez, ansiedade, procure um psicólogo para passar por uma avaliação clínica e saber como proceder. Quanto mais cedo se identifica o problema, mais rápido é possível reverter o quadro, orienta Silvia.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também