Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

JUSTIÇA

Motorista que atropelou e matou pedestre é condenado a indenizar as filhas da vítima

Motorista que atropelou e matou pedestre é condenado a indenizar as filhas da vítima
19/03/2014 18:15 - DA REDAÇÃO


Os desembargadores da 1ª Câmara Cível decidiram por unanimidade manter a condenação do condutor que atropelou e matou um homem, em novembro de 2008, na rodovia BR-158, em Paranaíba. O motorista havia entrado com recurso de apelação, mas foi decidido que ele pagará indenização de 50 salários mínimos - corrigidos monetariamente pelo INPC e acrescidos de juros legais (1% a.m.) - para as filhas da vítima. Conforme os autos do processo, o pedestre atravessava a via na faixa, quando foi atingido pelo carro do réu. De acordo com o laudo pericial, a causa do acidente foi a falta de sinalização advertindo os condutores da passagem de pedestres e da ausência da lombada eletrônica impondo limite de velocidade, além da velocidade excessiva com que se dirigia o veículo. Por isso, as filhas sustentaram a existência de culpa do réu e pediram sua condenação no valor de 200 salários mínimos por danos morais. O magistrado julgou o pedido parcialmente procedente e condenou o condutor ao pagamento de 50 salários mínimos, desde a data da publicação da sentença.

O homem apresentou recurso de apelação, reivindicando a reparação da sentença proferida e sustentou que as provas dos autos não demonstraram sua culpa no acidente. O motorista também sustentou que as fotografias tiradas pela perícia apontam que a vítima transitava fora da faixa de pedestre e que não havia qualquer sinalização no local. Defendeu, inclusive, que as provas demonstram a culpa exclusiva da vítima, que agiu de forma imprudente ao atravessar sem tomar as precauções devidas. Por fim, questionou o valor elevado dos danos morais fixado.

Para o relator do processo, desembargador Divoncir Schreiner Maran, “a alegação de culpa exclusiva da vítima deve ser afastada porque o laudo pericial concluiu que a vítima atravessava na faixa de pedestre quando foi atingida pelo carro dirigido pelo apelante. A despeito da má sinalização do local, é certo que, por se tratar da entrada de área urbana, a velocidade deveria ter sido diminuída, mesmo porque era noite e a cautela e prudência revelam a necessidade de uma maior atenção quando da concomitância desses fatores. Sopesando as condições econômicas do ofensor e das ofendidas, não merece reparos o valor de 50 salários mínimos para cada apelada diante do critério da razoabilidade”.

Felpuda


As várias e várias mensagens que vêm sendo trocadas em grupos fechados, e para poucos, são de que algumas alianças poderão acontecer, mas mediante a troca de comando em alguns órgãos importantes. Seriam entendimentos para atender siglas de matizes bem diversos que vêm tentando criar dificuldades para vender facilidades. Se as negociações forem concretizadas, tornarão os caminhos sem muitas barreiras. A conferir.