domingo, 22 de julho de 2018

nacional

Motorista que atropelou ciclistas deve permanecer em hospital, diz delegado

2 MAR 2011Por g112h:28

A polícia aguarda um novo laudo médico para encaminhar o motorista que atropelou ciclistas em Porto Alegre, na sexta-feira (25), para o Presídio Central da capital gaúcha. O homem foi preso preventivamente nesta quarta-feira (2), no hospital em que está internado. Segundo o delegado Gilberto Almeida Montenegro, ele deve permanecer na instituição, sob custódia policial, até a liberação médica.

"Falei com o psiquiatra que está acompanhando seu estado de saúde, e aguardamos uma nova avaliação, com um laudo que o libere. Enquanto isso, ele permanece sob custódia, acompanhado por um grupo de policiais que está no hospital. Quando for liberado, ele deverá ser encaminhado ao Presídio Central de Porto Alegre", diz o delegado.

Ricardo José Neis está internado desde terça-feira (1º). "A família decidiu interná-lo porque ele estava ameaçando se matar. E disse que se for preso, irá se matar", afirmou ao G1 nesta manhã o advogado Luís Fernando Coimbra Albino, que representa o suspeito.

O atropelamento ocorreu na sexta-feira, na esquina das ruas José do Patrocínio e Luiz Afonso, em Porto Alegre. Nove pessoas foram levadas ao Hospital de Pronto Socorro da cidade. Todas foram liberadas sem ferimentos graves, segundo o hospital. O motorista teria fugido do local sem prestar socorro, segundo testemunhas. Inconformados, os ciclistas chegaram a fechar a avenida.

Em depoimento à polícia, segundo seu advogado, Neis afirmou que agiu para defender sua integridade física e a de seu filho. Eles teriam se sentido ameaçados pelos ciclistas.

Na segunda-feira (28), a Polícia Civil e o Ministério Público do Rio Grande do Sul pediram à Justiça a prisão preventiva do motorista. Segundo o MP, o pedido, protocolado no plantão judiciário do Fórum Central de Porto Alegre pelos promotores Eugênio Amorim e Lúcia Callegari, destaca que houve tentativa de homicídio qualificado, por ter sido por motivo fútil e por recurso que dificultou a defesa das vítimas.

A prisão preventiva de Neis foi decretada pela Justiça do Rio Grande do Sul no fim da noite de terça-feira (1º).

Leia Também