CIDADES

Motorista morre em colisão de carreta com trator em rodovia

Motorista morre em colisão de carreta com trator em rodovia
23/07/2010 22:18 -


Fábio Dorta, Dourados

O motorista Whesley Max Paulo, de 28 anos, que residia na cidade de Nova Andradina, morreu em um acidente automobilístico. O fato se deu por volta das 23h30min de anteontem, na rodovia BR-267, trecho entre Rio Brilhante e Maracaju. A carreta bitrem que ele conduzia foi atingida por um trator que tinha acoplado à sua estrutura um pulverizador. A vítima foi atingida na cabeça.
De acordo com as informações liberadas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), que atendeu a ocorrência, Max Paulo trafegava com a carreta Volvo FM 12, de cor azul, com placa de Londrina (PR), quando a cabine do seu veículo foi atingida pelo pulverizador do trator Valtra BM 100, que era conduzido por Elton da Silva Amaral, de 20 anos, residente no município de Sidrolândia.
Com a violência do impacto, a carreta acabou saindo da pista. Max Paulo foi atingido violentamente na cabeça, depois que uma parte do pulverizador quebrou o parabrisas dianteiro da carreta. Ele sofreu traumatismo craniano e morreu no local do acidente.
Ainda segundo as informações, a vítima prestava serviços para uma usina de álcool da região, assim como Amaral, que teve apenas ferimentos leves.
Uma equipe da Coordenadoria de Perícia e outra da Polícia Civil em Dourados estiveram no local para a realização dos levantamentos que irão auxiliar nas investigações sobre as causas do acidente. O corpo foi removido para o Instituto de Medicina e Odontologia Legal (Imol).
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".