Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Motorista é indenizada por airbag não acionado, mesmo sem comprovar falha

4 JAN 14 - 12h:15Folhapress

Uma motorista ganhou, numa decisão inédita na Justiça Superior, indenização de R$ 20 mil por ter sofrido um acidente e o airbag não ter funcionado, mesmo sem ter comprovado que havia defeito no produto.

O acidente ocorreu em 2004, quando a motorista colidiu de frente com outro carro e bateu o rosto no volante, quebrando o nariz e passando por cirurgias. A decisão do STJ (Superior Tribunal de Justiça) é de dezembro.

A montadora foi condenada a pagar R$ 20 mil de indenização por danos morais, além de danos materiais que forem apurados.

Na decisão, os ministros entenderam que a montadora deveria provar que entregou um produto sem falhas. Na perícia, a avaliação técnica concluiu que o dispositivo de segurança não interpretou os sinais, como frenagem brusca, para acionar o airbag.

"O sistema interpretou que as condições de desaceleração não foram suficientes para atuação do sistema de segundo estágio, e assim, não acionou as bolsas do airbag", diz o documento.

Assim, os ministros da 4ª Turma do STJ decidiram que, como foi uma colisão frontal, se o airbag não foi acionado é possível concluir, mesmo sem provas, de que houve falha. Portanto, a montadora só poderia escapar de condenação se ela, e não o motorista, provasse que o airbag não tinha falhas.

"Foram preenchidos os dois estágios do choque exigidos para a detecção do airbag, mas que, por um defeito no produto, não acionou o sistema, causando danos à consumidora.

Assim, a conclusão evasiva da perícia deve ser interpretada em favor do consumidor vulnerável", escreveu o ministro Luís Felipe Salomão na decisão.

Alcance
Essa decisão do STJ foi o primeiro precedente na Justiça superior em favor dos motoristas que sofrem acidentes e o airbag não é acionado. Os ministros mudaram o entendimento das instâncias inferiores, que havia decidido que o motorista só poderia ser indenizado se provasse que houve falha no airbag e condenaram a montadora.

Esse é o primeiro precedente no STJ do tipo outros tratam de acidentes quando o airbag não deveria ser acionado, como numa colisão lateral ou buraco na estrada. Cabe recurso da decisão. 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Argentina, Chile, Uruguai e Paraguai terão candidatura unificada para Copa
2030

Países terão candidatura unificada para Copa

Frango assado caprese é fácil de fazer e fica uma delícia
JANTAR

Frango assado caprese é fácil de fazer e fica uma delícia

OAB vai entrar com ação para impedir obra da Sanesul às margens de rio
AUDIÊNCIA PÚBLICA

OAB vai entrar com ação para impedir obra da Sanesul às margens de rio

Juiz da infância de Dourados é promovido a desembargador do TJMS
PROMOÇÃO

Juiz da infância de Dourados é promovido a desembargador

Mais Lidas