CIDADES

Motorista bêbado causa acidente com morte

Motorista bêbado causa acidente com morte
03/04/2010 20:07 -


O comerciante Joaquim Araújo Dias Filho, 41 anos, morreu na tarde de quinta-feira, em Naviraí, a 360 quilômetros de Campo Grande, após uma caminhonete Ford Ranger invadir o bar dele e prensá-lo contra a parede. O veículo, de cor prata e placa de Umuarama, Paraná, era conduzido pelo médico Nelson Antônio Gasperin, 51 anos, que foi preso em flagrante por homicídio doloso (sem intenção). Ele apresentava sinais de embriaguez.

A caminhonete trafegava pela Rua Mato Grosso e no cruzamento com a Rua dos Operários, ao desviar de um ciclista, o motorista perdeu o controle do carro e invadiu o Bar do Ponto, que fica em frente à Delegacia de Polícia Federal. A Ranger atropelou Joaquim e Luís Paulo da Silva Teixeira, 19 anos, que estavam sentados em frente ao comércio. Joaquim ficou prensado entre o veículo e a parede do comércio e morreu na hora. Luís Paulo foi arremessado a alguns metros e teve escoriações e hematomas pelo corpo.

Policiais federais verificaram que Nelson falava e andava com dificuldade, estava com os olhos avermelhados, aparência sonolenta e forte odor de álcool. O médico do Paraná recusou-se a fazer o exame de alcoolemia e por isso foi feito o Termo de Constatação de Embriaguez. No interior do veículo a polícia encontrou duas garrafas de uísque, uma delas aberta.

Segundo o registro policial, antes do acidente, uma pessoa telefonou para o 190 e disse que havia uma Ranger de cor prata trafegando em zigue-zague pela BR-163 e por duas vezes saiu da pista. Moradores da cidade disseram que Nelson tem fazenda na região. (NC)

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".