Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Motorista atropela casal e arrasta corpo por quatro quadras

Motorista atropela casal e arrasta corpo por quatro quadras
12/10/2008 17:50 -


     

        Da redação

        Um casal de idosos morreu na madrugada de ontem depois de ser atropelado por um veículo que vinha em alta velocidade na Avenida Colombo, uma das mais movimentadas de Maringá, município no Noroeste do Paraná. O motorista, Pedro José da Silva, de 24 anos, tentou fugir mesmo com o corpo da senhora preso ao pára-brisa do carro.

        O acidente aconteceu às 5h, quando a bicicleta em que o casal estava foi atropelada e jogada a 150 metros. ?Pela distância que foi arremessado o ciclista, e pelo estrago que houve no carro, acredita-se que a velocidade era grande?, explicou Valdir dos Santos, da companhia de trânsito da Polícia Militar (PM).

        Valdemar Pacífico, de 68 anos, e mulher, Diva Rosado Pacífico, de 67, morreram na hora. Silva fugiu, mesmo com o corpo de Diva preso no pára-brisa do carro. Segundo o sargento Devanir Aparecido Custódio, da PM de Maringá, o motorista percorreu cerca de quatro quadras, quando parou para retirar o corpo do veículo, jogando-o no chão.

        Ele ainda tentou fugir virando em uma rua menos movimentada, mas foi perseguido por pessoas que presenciaram o acidente. A fuga terminou três quarteirões depois, quando ele perdeu o controle do veículo e bateu em uma árvore.

        Silva foi levado para a Santa Casa de Misericórdia de Maringá com ferimentos leves. De acordo com a PM, quando recebesse alta, ele seria encaminhado à Delegacia de Polícia Civil, onde poderia responder por homicídio culposo e omissão de socorro. (informações da RPCTV)

Felpuda


O sumiço de algumas figurinhas carimbadas da política não acontece em virtude da necessidade de isolamento como uma das formas de prevenção à pandemia. Em verdade, seria porque não têm mesmo o que e a quem falar. Com o advento das redes sociais, quem acha que fazer campanha eleitoral continua como na época do “eu prometo” está a um passo de ver o sonho de conquistar mandato se transformar em pesadelo. Pelo jeito, não estão nem conseguindo dormir.