Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

REAÇÃO

Morto suspeito de atentado contra presidente do TRE-SE

Morto suspeito de atentado contra presidente do TRE-SE
11/04/2011 00:00 - ESTADÃO


O principal suspeito de ser o mandante do atentado contra o presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Sergipe, desembargador Luiz Mendonça, morreu ontem. Segundo nota divulgada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Estado, Floro Calheiros Barbosa recebeu voz de prisão em Gurupi, no Tocantins, mas conseguiu fugir até Barreiras, na Bahia, onde morreu em um confronto com a polícia.

Conforme o comunicado da SSP, equipes da Polícia Federal (PF) começaram a investigar o suspeito em Gurupi a partir de informações da Divisão de Inteligência e Planejamento Policial (Dipol) da Polícia Civil de Sergipe e do serviço de Inteligência da Superintendência da PF. De acordo com as informações, Barbosa estaria hospedado na cidade com seu filho, Fábio Calheiros, e seu sobrinho, Lucas Calheiros.

Por volta de 1 hora da madrugada de ontem, policiais cercaram a casa em que o suspeito estava e deram voz de prisão aos três. Fábio foi atingido por um tiro, mas fugiu na companhia do pai, do primo e de um quarto homem, ainda não identificado. Na fuga, Floro deixou o filho em um sítio, para que fosse levado ao hospital.

 Por volta de 9 horas da manhã, na BR-242, que liga Tocantins à Bahia, Floro avançou um bloqueio montado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Polícia Militar (PM) da Bahia. Os agentes perseguiram o veículo usado na fuga e, cerca de 1,2 quilômetro depois, os três desceram do carro atirando contra os policiais, que revidaram, conforme a SSP.

Felpuda


Em uma das eleições em MS, candidato já oficializado na convenção corria o trecho para conquistar os eleitores. Mal sabia, porém, que time do seu partido e de aliados estava tramando sua derrubada para emplacar substituto que teria mais votos. Por muito pouco, o dito-cujo não foi guilhotinado, conseguindo salvar o pescoço. Agora tudo indica que o mesmo processo estaria em andamento e seria mais fácil, pois a “vítima” desta vez ainda é só pré-candidato. Dizem que a “turma da trairagem” tem know-now no assunto.