Segunda, 19 de Fevereiro de 2018

RESULTADO DE ANÁLISES

Morte de peixes ocorreu por fenômeno natural, diz Imasul

25 FEV 2011Por NOTÍCIAS MS12h:01

Resultados de análises laboratoriais e constatações de campo feitas pelo Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) concluíram que a mortandade de peixes ocorrida em Rio Negro foi causada por fenômeno natural conhecido como “Decoada” no ecossistema pantaneiro.

Conforme informações do órgão, o fato ocorre por conta do consumo excessivo de oxigênio para a oxidação da matéria orgânica, associado à menor taxa de dissolução deste gás no ambiente devido a temperatura mais elevada das águas, resultando em variações do nível de água no complexo baía-rio.

De acordo o resultado do relatório, os níveis de oxigênio dissolvido na coluna de água, desde a superfície até ao fundo, dos ambientes investigados apresentaram-se extremamente baixos, menores que 2,0 mgO2/L. A temperatura da água desses ambientes também estava alterada, acima de 30°C. Havia excesso de matéria orgânica na água das baias e as duas baias estavam eutrofizadas, principalmente pelo fósforo, porém, sem floração de algas.

Ainda de acordo com o relatório, houve a morte de peixes de todos os níveis tróficos e não foi detectada a presença de princípios ativos de agrotóxicos nas amostras analisadas.

Os técnicos detectaram ainda que o ambiente já estava em recuperação, conforme foi observado peixes juvenis e alevinos. O rio Negro é um dos principais rios pantaneiros, responsável pela formação da sub-bacia do Rio Negro. É considerado berçário de reprodução de peixes. Em diversas fazendas por onde passa, o rio é protegido contra a pesca.
A única modalidade de pesca praticada no rio é o pesque-solte, determinada através de um decreto Estadual. O rio é protegido como reserva de recursos pesqueiros.

Leia Também