HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

Morre com suspeita de gripe homem que esperou por vaga

Morre com suspeita de gripe homem que esperou por vaga
22/06/2012 00:00 - ANAHI ZURUTUZA E LUCIA MOREL


Dezoito dias depois de ser internado no Hospital Universitário (HU) de Campo Grande com pneumonia, o trabalhador rural João Augusto Gomes de Arruda, 58 anos, morreu com suspeita de ter tido a gripe A (H1N1). Esta seria a quinta morte causada pela gripe suína na Capital, embora nunca ficará provado que o paciente tinha a doença, porque material para exame não foi coletado a tempo.

Assim como a professora Jane da Silva Figueiredo, 48, Arruda também morreu na terça-feira (dia 19). Segundo a filha dele, Marluce de Arruda, 37, ele não reagiu a nenhum dos tratamento que os médicos receitaram e teve três paradas cardíacas quando foi passar por uma traqueostomia — orifício aberto na traquéia para a colocação de tubos de respiração artificial. “Ele já estava muito debilitado, o rim e o fígado não estavam mais funcionando direito, ele teve uma hemorragia no estômago. Nenhum remédio que os médicos davam funcionava”, contou.

Leia mais no jornal Correio do Estado.


 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".