Sexta, 23 de Fevereiro de 2018

DUAS RODAS

Modalidade é o forte no setor de motos

6 DEZ 2010Por VERA HALFEN00h:00

O consórcio de motocicletas, é um segmento que cresce hoje cerca de 10% ao ano, de acordo com Carlos Humberto Canale, vice-presidente da Fenebrave-motos e sócio-proprietário da Caiobá, revendedor Honda. Ele frisa que no Estado são vendidas cerca de 1.700 cotas de consórcio Honda, que detém cerca de 90% do mercado e na região de Campo Grande, representando cerca de 700 cotas/mês. "Antes da crise do final de 2008, o consórcio tinha perdido muito espaço para o financiamento, mas logo após a crise ele começou a se tornar atrativo novamente devido à restrição de crédito imposta pelo mercado, mas passada a crise ele manteve o ritmo e hoje cresce cerca de 10% ao ano".

Atualmente na empresa, o Consórcio representa cerca de 30% do volume de entregas mensal de uma concessionária Honda. Segundo Canale, o perfil é variado, atende tanto ao consumidor que quer sair do ônibus ou bicicleta e entrar no mercado de duas rodas, mesmo sem o perfil solicitado pelas financeiras, quanto àqueles que querem programar a troca de sua motocicleta usada. "Existem também aqueles que não possuem condições financeiras e que conseguem pagar um valor menor na aquisição da moto, pois o consórcio é mais barato que o financiamento".

Para aderir a um grupo de consórcio, segundo Canale, basta procurar um profissional de vendas da área e a partir do momento que ele assina o contrato, já existe a possibilidade de oferta de lance ou de ser sorteado quando ocorrer a primeira assembleia do grupo. É possível, ainda de acordo com Canale, que o cliente faça a mudança deste bem para um de maior valor uma vez durante o processo, neste caso os valores da parcela que ele paga são atualizados pelo valor do bem a retirar.

Leia Também