Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

enfrentamento

Mobilização na fronteira tem dia de enfrentamento ao crack

1 MAR 11 - 07h:54 EDILSON JOSÉ ALVES, de PONTA PORÃ

A popularização do crack vem preocupando as autoridades da fronteira Brasil-Paraguai. Nesta segunda-feira, estudantes, professores, comerciantes, entidades de classes e a sociedade de uma forma em geral participaram de uma caminhada para marcar a data de 28 de fevereiro instituído como “Dia de Enfrentamento ao Crack”, conforme Lei Municipal de autoria da vereadora Dulce Manosso (PSDB), aprovada pela Câmara Municipal e sancionada pelo prefeito Flávio Kayatt (PSDB).

Segundo dados do Centro de Atenção Psicossocial de Ponta Porã (CAPS), o número de usuários de crack vem crescendo e, atualmente, é uma grande preocupação tanto para as autoridades brasileiras como paraguaias. Existe uma facilidade em adquirir esse tipo de droga na região. Enquanto nos anos de 2008 e 2009 o Caps atendeu cerca de 300 pessoas usuárias de drogas como crack, maconha, cocaína e também de álcool, somente em dezembro do ano passado foram 216 atendimentos.

“Realizamos inúmeras ações e atividades, para que possamos diagnosticar este quadro, atendendo e acompanhando os usuários. No entanto é fundamental que a sociedade desperte para este grave problema de saúde pública” alertou Carlos Urizar, psicólogo do Centro de Atenção Psicossocial de Ponta Porã.
Para marcar o 28 de fevereiro como o Dia de Combate às Drogas, nesta segunda-feira pela manhã foi realizada uma passeata, com os manifestantes saindo de frente ao prédio da Prefeitura de Ponta Porã, seguindo pela rua Guia Lopes, avenida Marechal Floriano até a Praça Lício Borralho, na Linha Internacional. A passeata faz parte da estratégia de conscientização da população em favor do combate às drogas, que cada vez mais tem alcançado crianças, jovens e adultos.

Neste mês de março, será realizado o Fórum Municipal, que servirá para a elaboração do Plano Municipal de Enfrentamento ao Crack e outras drogas, que contará com diversos segmentos da sociedade. A autora do Projeto de Lei que instituiu o Dia Municipal de Combate ao Crack, Dulce Manosso, disse que toda a sociedade precisa participar e colaborar para evitar uma proliferação ainda maior do uso de entorpecentes no município fronteiriço.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Setor externo tem déficit de US$ 1,134 bi em fevereiro, mostra BC
DADOS OFICIAIS

Setor externo tem déficit de US$ 1,134 bi em fevereiro, mostra BC

BRASIL

Lava-Jato reafirma que há razões para prisão de Temer, mas que respeita decisão

Loja de roupas é autuada por anunciar produtos a R$ 60 e vender a R$ 80
PROCON

Loja de roupas é autuada
por divergência de preços

Associação repudia pedido de Dodge parar tirar poder de juiz estadual
JUSTIÇA

Associação repudia pedido de Dodge parar tirar poder de juiz estadual

Mais Lidas