domingo, 22 de julho de 2018

EXPORTAÇÃO

Mix de pop art e quadrinhos nas telas de Márcio Tuller

21 OUT 2010Por OSCAR ROCHA00h:15

O que era algo despretensioso na vida do advogado Márcio Tuller, 39 anos, ganha nova dimensão nos últimos meses, deixando em segundo plano as atividades jurídicas. Desde junho, ele prepara várias telas para expor em uma galeria em Lisboa (Portugal).  Até chegar a este momento, Márcio passou por várias etapas nas artes plásticas. “Desenho desde criança, mas sempre levava mais como hobby, nada muito sério”, lembra Márcio.

A mudança de postura aconteceu em 1997, quando  utilizou a arte com terapia para resolver problemas pessoais. “Fui ter aulas de pinturas, porém, não me identifiquei com o estilo, mesmo a professora sendo excelente. O trabalho era mais em cima de ‘natureza morta’, bem diferente das coisas que vinha fazendo”. Após um curto período afastado das tintas e telas, retornou ao descobrir as possibilidades da tinta acrílica. “Estava trabalhando com tinta óleo. Não me acostumei, tem artistas que gostam de trabalhar com esse tipo de  material, não é o meu caso. Quando encontrei a tinta acrílica, ganhei mais liberdade de criação”. Nessa fase, também voltou aos elementos que desenhava na adolescência, marcados por traços modernos.

O artista tem dificuldade em definir exatamente o tipo de obra que produz, no entanto, consegue identificar elementos da pop art nas suas telas. No primeiro momento, as influências dos quadrinhos e da publicidade são as mais visíveis. “São traços dinâmicos nos quais coloco bastante modernidade. As telas são de grande proporção, a menor tem um metro por um metro”. Mesmo com uma produção constante, a mostra dos trabalhos ao público foi rara. Lembra que a primeira individual aconteceu em Maringá (Paraná), há mais de 10 anos, e que em Campo Grande, mostrou seus trabalhos para o público em geral somente em agosto quando integrou mostra de artes promovida pela Fundação de Cultura de Campo Grande  (Fundac), na Esplanada da Estação Ferroviária.

O convite para expor em Portugal foi feito após os responsáveis por uma galeria em Lisboa verem as suas telas em um site da Inglaterra. “Um marchand inglês, que ganhou muito dinheiro com artes, resolveu criar um site no qual possibilita que artistas de qualquer País mostrem seus trabalhos. Coloquei algumas telas, o pessoal de Portugal viu e gostou, fazendo o convite na sequência”.  A exposição se inicia no dia 6 de novembro, ficando por 15 dias, e destacará 11 trabalhos. Ele estará em Lisboa para o início da exposição e, na sequência,  retorna para Mato Grosso do Sul. Na volta, diz que se dedicará mais às artes plásticas. “Estou me afastando cada vez mais do Direito. Atualmente, a pintura ocupa mais de 85%  da minha rotina e quero ampliar mais ainda este tempo”, finaliza.

Leia Também