Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 13 de novembro de 2018

CAMPO GRANDE

Missa marca entrega da ampliação do
São João Bosco

1 AGO 2012Por ANAHI ZURUTUZA00h:02

Entregue a reforma da ala feminina e construção de uma nova lavanderia no Recanto São João Bosco (asilo), a administração dará início à restauração da cozinha. Iniciadas há um ano, as obras no pavilhão das mulheres ampliaram a capacidade de atendimento do asilo para até 150 idosos. Hoje, vivem no recanto 94 pessoas.

Orçada inicialmente em quase R$ 1 milhão, as obras custaram R$ 700 mil e foram inauguradas ontem (31 de julho) na presença de pelo menos 20 empresários, que fizeram doações em dinheiro ou em materiais de construção.

Às 17h, na capela do asilo, o arcebispo de Campo Grande e presidente da Associação Recanto São João Bosco, Dom Dimas Lara Barbosa, celebrou missa em ação de graça à conclusão da reforma.

De acordo com o padre Oralino Zanchin, responsável pelas obras, com recursos de doações também será reformada a cozinha. “Tudo está sendo feito para que o asilo atenda o que exige a Anvisa”.

Segundo Dom Dimas, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já havia notificado a administração do asilo para fazer a reforma. “A ala masculina já havia sido reformada e agora terminamos a ala feminina. Com certeza, a qualidade de vida de quem está aqui vai melhorar muito”.

Reforma
Cada quarto recebeu um banheiro, o piso e a pintura foram trocados, o telhado e a estrutura foram reformados, a parte elétrica e hidráulica revisadas. 31 empresários reuniram-se e fizeram doações em dinheiro ou em materiais de construção.

Os empresário que vistoriaram a reforma concluída aprovaram ao trabalho. “Se as pessoas vissem como isso era antes. Esta maravilhoso agora. Foi tudo muito bem conduzido”, afirmou o ex-senador Antonio João Hugo Rodrigues, que fez doação em dinheiro.

Outro doador, o empresário Pedro Chaves também gostou do que viu. “A velhice está cada vez mais desamparada, daí a importância do trabalho que fazem aqui. As doações foram atos de por solidariedade e responsabilidade social”. 

Leia mais no jornal Correio do Estado

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também