Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

Ministro mantém artilharia contra o PSDB

23 JAN 10 - 08h:05
Após participar de um evento ao lado do governador de Minas, Aécio Neves (PSDB), o ministro da Secretaria- Geral da Presidência, Luiz Dulci, manteve ontem a artilharia governista contra o presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), acusando-o de fazer “ataques duros, grosseiros e até pessoais” à ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff – pré-candidata petista ao Palácio do Planalto. Enquanto Aécio evitou entrar no tiroteio verbal, Dulci acusou também a oposição de adotar o “caminho da baixaria” e disse que o PSDB e o DEM “não têm um projeto alternativo para o Brasil”. Seguindo a orientação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro – único remanescente do antigo “núcleo duro” do governo petista – reiterou a estratégia de estabelecer uma disputa plebiscitária na eleição, comparando o atual governo com a gestão de Fernando Henrique Cardoso. Também não poupou FHC. Dulci chegou a dizer que o ex-presidente “parecia estar torcendo para que o presidente Lula se desse mal” quando estourou a crise financeira internacional. “Na minha opinião, será uma disputa de dois projetos: se o povo brasileiro vai querer a volta do chamado projeto neoliberal, que governou o País sob a presidência de Fernando Henrique Cardoso durante oito anos, ou se vai querer a continuidade e o avanço do atual projeto de governo, liderado por Lula”.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Senador Nelson Trad diz que <br> PSD está em falta com o PSDB
ALIANÇA

Senador Nelson Trad diz que
PSD está em falta com o PSDB

Brasil articula criação de centro de aprimoramento de gado leiteiro na Índia
MISSÃO

Brasil articula criação de centro de aprimoramento de gado leiteiro na Índia

PT escala Pedro Kemp <BR>para tentar se reerguer
ELEIÇÕES 2020

PT escala Pedro Kemp
para tentar se reerguer

MOBILIZAÇÃO

Militantes juntam assinaturas para que organização de Bolsonaro vire partido

Grupo precisa de 500 mil pessoas em todo o país; meta da Capital é mil assinaturas

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião