OMISSÃO DE VALORES

Ministério Público apura se pai de Neymar cometeu crime tributário

Ministério Público apura se pai de Neymar cometeu crime tributário
29/01/2014 17:30 - terra


O Ministério Público Federal investiga o pai de Neymar por suspeita de crime tributário. A Procuradoria da República em Santos, instaurou procedimento investigatório criminal para saber se houve algum tipo de omissão de valores junto à Receita Federal por parte da N&N Consultoria Esportiva, empresa do pai e empresário do craque, durante a negociação da venda do atleta para o Barcelona (ESP).

Caso tenha havido alguma omissão de valores na arrecadação de impostos, isto configuraria crime contra a ordem tributária. Quem teria que responder à Justiça nessas circunstâncias, seria Neymar da Silva Santos, o pai do jogador e o responsável pela empresa.

O MPF enviou um ofício para a Receita Federal de Santos questionando a situação da empresa em relação à arrecadação de impostos. A investigação teve início após ter conhecimento de que os valores recebidos por ele seriam de R$ 130 milhões.

"No curso da investigação instaurada pelo MPF em Santos, não foi possível, de forma consistente, elucidar por completo a questão fiscal da empresa, que segundo informações fornecidas pela Fazenda Nacional indicariam a existência de débitos tributários. Nas informações já recebidas pelo MPF não foi possível definir o atual estado dos débitos, se há parcelamentos ou se existe inscrição junto à divida ativa", informou o MPF, em nota.

Se necessário, as investigações podem ter auxílio do Ministério Púbico Espanhol, já que o órgão também investiga uma denúncia de um sócio do Barcelona sobre a negociação envolvendo o craque brasileiro.

Lancepress!

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".