Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quinta, 13 de dezembro de 2018

Ana de Hollanda

Ministério nega irregularidades em diárias

8 MAI 2011Por JB Online15h:49

O Ministério da Cultura divulgou, na tarde deste domingo, nota em que rebate acusações de que a ministra Ana de Hollanda teria recebido diárias em fins de semana sem compromissos oficiais no Rio de Janeiro, publicadas na edição de hoje do jornal O Estado de S.Paulo. Segundo a pasta, não há "impropriedade na conduta da ministra".

De acordo com o jornal, Ana de Hollanda costuma marcar compromissos oficiais fora de Brasília, principalmente no Rio de Janeiro - onde tem imóvel próprio - às sextas e segundas-feiras. Dessa forma, a ministra receberia a ajuda financeira não só pelos dias de trabalho fora da capital federal, como pelos sábados e domingos não trabalhados.

Levantamento do jornal aponta que, nos primeiros quatro meses no cargo, a ministra recebeu cerca de R$ 35,5 mil por 65 diárias, sendo que a agenda do ministério não registra compromisso oficial em, pelo menos, 16 desses dias. O custo em passagens aéreas foi de R$ 17,3 mil.

"Em algumas viagens ao Rio, onde há representação regional, assim como São Paulo, Salvador e Recife, e a outros locais a que a função a obriga, a eventual existência de dias não ocupados por agenda de trabalho fez com que a ministra optasse por cancelar a passagem oficial, arcasse pessoalmente com as multas pela troca do voo e, assim, cancelasse o recebimento de diárias", diz a nota do ministério.

De acordo com a pasta, "as diárias são automaticamente atreladas à emissão dos bilhetes de viagens" e "todas as prestações de contas da ministra pertinentes a viagens estão aprovadas no próprio Sistema de Concessão de Diário e Passagens (SCDP), com o devido detalhamento".

O ministério ainda negou que Ana de Hollanda tivesse "admitido" que recebia diárias em fins de semana no Rio sem agenda oficial, como consta na reportagem.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também