Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

Ministério da Fazenda quer teto de 12% ao ano para Selic

13 JUL 10 - 14h:58
Kelly Oliveira, Agência Brasil

A projeção de analistas do mercado financeiro para a taxa básica de juros, a Selic, ao final de 2010 caiu de 12,13% para 12% ao ano, segundo o boletim Focus, divulgado ontem pelo Banco Central (BC).
Para o fim de 2011, foi mantida em 11,75% ao ano a estimativa para a taxa Selic. Atualmente, a taxa básica está em 10,25% ao ano e a expectativa dos analistas é de que na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do BC, marcada para os dias 20 e 21 deste mês, a Selic seja ajustada para 11% ao ano. A nova previsão só será fechada com a volta do ministro Guido Mantega a Brasília nesta semana.
A Selic é um instrumento usado pelo Banco Central para controlar a inflação. Quando a instituição considera que a economia está aquecida e a trajetória de inflação é de alta, eleva a Selic.
O BC tem que perseguir uma meta de inflação, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que tem centro de 4,5%, com margem de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. Essa meta é válida para este ano e 2011.
Para 2010, a projeção dos analistas para o IPCA caiu de 5,55% para 5,45%. Em 2011, os analistas esperam que a inflação oficial chegue a 4,80%, a mesma estimativa anterior. Essas previsões estão, portanto, acima do centro da meta de inflação.
O boletim Focus também traz projeção para o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), que caiu de 9,03% para 8,68%, neste ano, e permaneceu em 5%, em 2011.
A expectativa para o Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M) neste ano também caiu – de 9% para 8,89%. Para o próximo ano, passou de 5% para 5,01%.
A projeção para o Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe), neste ano, caiu de 5,24% para 5,15%. Para 2011, a estimativa para esse índice permaneceu em 4,50%.
A expectativa dos analistas para os preços administrados permaneceu em 3,60%, em 2010, e caiu de 4,80% para 4,78%, em 2011. Os preços administrados são aqueles cobrados por serviços monitorados, como combustíveis, energia elétrica, telefonia, medicamentos, água, educação, saneamento, transporte urbano coletivo, entre outros.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Câmeras de reconhecimento facial começam a ser instaladas nesta semana na 14 de Julho
SEGURANÇA

Câmeras de reconhecimento facial começam a ser instaladas nesta semana na 14

Tereza Cristina firma acordo técnico na Alemanha, passa por Itália e segue para a Índia
INTERNACIONAL

Tereza Cristina firma acordo técnico na Alemanha, passa por Itália e segue para a Índia

Município estuda agilizar emissão de notas para campanha de prêmios
SERVIÇOS

Município estuda agilizar emissão de notas para campanha de prêmios

Bolsonaro escala General Mourão para combater desmatamento na Amazônia
SELVA

Bolsonaro escala General Mourão para combater desmatamento na Amazônia

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião