sábado, 21 de julho de 2018

EDIÇÃO 2010

Minc divulga o prêmio da cultura indígena

24 DEZ 2010Por OSCAR ROCHA00h:15

O líder indígena sul-mato-grossense Marçal de Souza – também conhecido como Marçal Tupã-Y – , assassinado em 1983, é o homenageado na edição de 2010 do Prêmio Culturas Indígenas, promovido pelo  Ministério da Cultura, por meio da Secretaria da identidade e Identidade Cultural (SID/MinC). “O nome dele é muito forte, não somente em Mato Grosso do Sul, como em todo movimento indígena nacional.  Sua trajetória é um exemplo. A cada edição do prêmio é discutido, em um colegiado, quem será homenageado. Desta vez, o nome de Marçal apareceu em destaque”, explica uma das produtoras do prêmio, Gláucia Paschoal, que atua na Articulação dos Povos Indígenas do Sul (Arpinsul), proponente do prêmio.

Surgido em 2006, a iniciativa destaca ações que contribuam para a preservação das tradições e das identidades culturais indígenas. Neste ano, foram selecionados 92 projetos, sendo 7 de Mato Grosso do Sul. “Na edição passada, foram inscritos 697 projetos em todo o Brasil, destes selecionamos 102. Agora,  premiamos as propostas com qualidades que ficaram de fora da outra edição”, explica Glaucia. Foram contemplados 23 estados brasileiros, representando 104 povos indígenas. Cada projeto selecionado receberá um prêmio de R$ 20 mil reais. As manifestações destacadas nos projetos são  culinária, religião, medicina tradicional, artesanato, música, entre outros. Os resultados das outras edições podem ser conferidos em catálogos, que também estão disponíveis em versões virtuais no site www.culturasindigenas.org.

O resultado da seleção foi publicado na semana passada no Diário Oficial da União. O MinC  investiu nessa terceira edição R$ 2,3 milhões. A edição de 2006 premiou 82 iniciativas, beneficiando cerca de 50 mil indígenas. Já a edição Xicão Xucuru concedeu o prêmio a 102 projetos que resultaram em benefícios para cerca de 100 mil pessoas de comunidades indígenas distribuídas em todo o País.

O edital, destinado exclusivamente às comunidades e organizações indígenas, tem como objetivo incentivar iniciativas de fortalecimento das expressões culturais dos povos indígenas do Brasil e estimular o seu protagonismo na elaboração e realização dos projetos culturais. As três edições do Prêmio Culturas Indígenas foram patrocinadas pela Petrobras, por meio da Lei Rouanet.  O Prêmio Marçal Tupã-Y teve ainda a parceria da Articulação dos Povos Indígenas do Sul (ArpinSul). Nas duas primeiras realizações foram homenageados o Kaingang, Ângelo Cretã e ao cacique Xicão Xukuru.

Leia Também