CIDADES

Militares que irão para Haiti iniciam treinos

Militares que irão para Haiti iniciam treinos
19/07/2010 20:17 -


O Comando Militar do Oeste (CMO) enviará 605 militares para o Haiti, sendo 517 de Mato Grosso do Sul e 88 de Mato Grosso, a partir de 15 de agosto. Eles fazem parte do 2º Batalhão de Infantaria de Força de Paz (Brabatt 2) e ajudarão na reconstrução do país devastado por terremotos, no início deste ano. A seleção e o treinamento dos voluntários começaram há quatro meses e, ainda hoje, serão iniciados os exercícios de simulação de combate, em Campo Grande.
No total, partirão para o país da América Central 908 pessoas, que formam o 13º contingente da missão de estabilização, com integrantes de outras regiões do Brasil. No total, são três companhias de fuzileiros, uma de cavalaria e um comando de apoio de força de paz.
“Nossa missão é ajudar no processo de estabilização do Haiti, para proporcionar segurança. Serão desenvolvidas ações de patrulhamento, vasculhamento, cooperação, assistência social, entre outras”, afirmou o major Alexandre Petrini Leonardo, da seção de Comunicação do Brabatt.
Nesta semana, todos os militares passaram concentrados na Capital para inspeção de saúde, vacinação, recebimento de equipamentos e passaram por trabalho psicológico de motivação. Nesta segunda-feira, serão realizados exercícios básicos de operação de paz, quando são simuladas situações análogas às que os voluntários encontrarão no Haiti. (ST)
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".