Terça, 20 de Fevereiro de 2018

PESCA

Militares bolivianos cobram pedágio na Baía Mandioré

22 OUT 2010Por Silvio Andrade - CORUMBÁ13h:00

Militares de um destacamento mantido pela Bolívia ao lado de um marco da fronteira seca daquele país com o Brasil, no Pantanal, estão cobrando R$ 20 por pessoa (brasileira) para acesso à Baía Mandioré, cujas águas ficam praticamente concentradas no município de Corumbá. Embarcação de ribeirinho ou pescador não chega à baía sem passar pelo pedágio.

A denúncia foi feita ontem na Câmara de Corumbá pelo vereador Marcos de Souza Martins (PT), que testemunhou pessoalmente a barreira montada pelos militares. Ele foi ao local, depois de navegar quatro horas pelo canal do Bonfim, que liga o Rio Paraguai à baía, e deparou-se com a presença dos militares armados fechando o acesso no trecho de águas mais profundas.

Mandioré é a segunda maior baía da planície pantaneia e localiza-se no extremo norte, distante mais de 200 km por via fluvial de Corumbá. Suas águas circundam a morraria do Amolar e em toda a extensão faz fronteira com a Bolívia. Na região ocorre a exploração clandestina de pedras semipreciosas por embarcações da Bolívia com bandeira brasileira.

O vereador encaminhou a denúncia ao Ministério das Relações Exteriores e à Marinha, Exército e Polícia Federal. “Não estamos acusando o governo da Bolívia, pode ser uma ação individual dos militares”, disse Marcos Martins. “Estamos defendendo a navegação em águas compartilhadas e a soberania nacional. Pode haver conflitos graves”, completou ele.

Leia Também