ALTOS IMPOSTOS

Milionários franceses correm para exílio fiscal

Milionários franceses correm para exílio fiscal
29/07/2012 00:00 - Terra


Desde a campanha eleitoral para a presidência da França, as promessas do então candidato socialista François Hollande já tiravam o sono dos milionários do país, temendo serem obrigados a dar para o Estado uma quantia cada vez maior do patrimônio.

Dois meses após a eleição, os contornos da reforma fiscal desejada pela esquerda começam a se desenhar - e a lista de empresários, esportistas e artistas que planejam deixar o país não para de crescer.

A pesada mordida do Leão francês visa pessoas físicas que recebem mais de 1 milhão de euros (R$ 2,47 milhões) por ano. O Instituto Nacional de Estatísticas e Estudos Econômicos estima que o número de contribuintes com salários superiores a este é de 29 mil franceses.

A reforma fiscal vai conclamar todas as camadas sociais a pagar mais tributos para ajudar o Estado a chegar ao equilíbrio fiscal até 2017, mas serão os ricos que deverão colocar mais fundo as mãos no bolso. Duas medidas específicas atingem este público: a elevação do chamado Imposto de Solidariedade sobre a Fortuna (ISF), em vigor desde 1982, e o aumento da alíquota do imposto de renda para até 75%.
 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".