Milhões de pessoas podem ficar sem acesso à internet na próxima semana

Milhões de pessoas podem ficar sem acesso à internet na próxima semana
05/07/2012 13:30 - tecmundo


Milhões de pessoas em todo o mundo podem ficar sem acesso à internet a partir do dia 9 de julho, data em que o FBI planeja desativar servidores DNS utilizados por criminosos. Isso deve ser feito para ajudar a eliminar o vírus chamado DNSCharger que, ao infectar os computadores, desvia a rota dos dados e envia informações direto para os bandidos.

Servidores DNS são sistemas que identificam os endereços na internet. Todos os sites são identificados por números IP, e o trabalho dos servidores DNS é associar esse número com um nome por extenso, para facilitar a navegação.

O que o vírus DNSCharger faz é direcionar o tráfego de dados alterando essa identificação. Caso a sua máquina esteja infectada, ao digitar o endereço por extenso, você vai ser levado para um site de propriedade dos criminosos.

Com o desligamento desses servidores, todas as pessoas que tiverem seus computadores infectados podem ficar sem acesso à internet, já que suas máquinas vão continuar buscando por endereços que não existem mais. O único jeito de voltar a navegar sem problemas é eliminar o vírus dos computadores. O FBI está implantando servidores DNS “limpos” temporários para substituir aqueles que serão desativados.

Seis estonianos por trás dessa fraude foram presos pelo FBI durante as investigações. O vírus DNSCharger se disseminou através dos meios tradicionais, como emails e malwares.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".