Sábado, 16 de Dezembro de 2017

2013

Milho é um dos destaques nas operações da Conab

5 JAN 2014Por DA REDAÇÃO00h:00

Graças às operações de Venda em Balcão para o milho, realizadas pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), em atendimento aos estados pertencentes à Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), até novembro de 2013 foram vendidas mais de 590 mil toneladas do produto, a preços subsidiados, para cerca de 200 mil criadores. O milho tem sido a mais importante fonte suplementar de alimento para os animais da região Nordeste e do norte de Minas Gerais e do Espírito Santo, afetados pela maior seca dos últimos 50 anos.

Também ao longo de 2013, a Conab realizou leilões de Contrato de Opção Venda de milho, ofertando 2.500 t, dos quais 2.080 t foram negociadas, garantindo boa remuneração aos produtores. Por meio desta ferramenta, o produtor rural ou sua cooperativa tem o direito de vender seu produto para o governo, em uma data futura, a um valor fixado anteriormente, evitando o risco de ter prejuízos financeiros em razão de queda nos preços no mercado. A baixa nos preços do milho aconteceu principalmente porque os Estados Unidos voltaram a produzir o grão dentro da sua normalidade.

Outra operação que teve destaque em 2013, em relação ao milho, refere-se ao Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro), principalmente para o Estado de Mato Grosso.

Entre julho a novembro foram lançados leilões para 9.750 t, sendo negociadas 8.861,7 t. O Pepro é uma subvenção econômica onde o produtor rural, ao arrematar o prêmio em leilão, se compromete a vender o volume adquirido pela diferença entre o Preço Mínimo estabelecido pelo governo federal e o valor adquirido. Isso assegura que a venda ocorra a um preço justo para o produtor.

Mato Grosso também foi destaque na realização de Aquisições do Governo Federal (AGF), com a compra de 636.808,29 t de milho. Por meio de AGF, a Conab beneficia o agricultor ao adquirir sua produção quando o preço de mercado estiver abaixo do preço mínimo estabelecido para a safra vigente. Isso vale para qualquer produto que faça parte da Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM).

Fonte: Conab

Leia Também