Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

BNDES

Microempresas buscam 45% dos desembolsos

26 MAR 11 - 00h:01INFOMONEY

Micro, pequenas e médias empresas tiveram participação recorde na liberação de desembolsos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) no primeiro bimestre deste ano. No total, essas empresas representaram 45% do total de desembolsos do Banco nos dois primeiros meses do ano, atingindo R$ 7,7 bilhões, dos R$ 17,2 bilhões.

Isso significa que as liberações de crédito às micro, pequenas e médias empresas tiveram expansão de 18% no período. Enquanto isso os desembolsos a grandes empresas ficaram estabilizados em R$ 9,5 bilhões no período.

Apenas em janeiro, foram liberados R$ 8,3 bilhões e, em fevereiro, R$ 8,9 bilhões. Já no acumulado dos últimos 12 meses encerrados em fevereiro, o Banco desembolsou R$ 169,6 bilhões (incluindo nesta conta a operação de capitalização da Petrobras).

Cartão BNDES e PSI
Segundo avaliação do BNDES, o Cartão BNDES – instrumento de financiamento voltado para empresas de micro, pequeno e médio porte –, com quase 65 mil operações realizadas nos primeiros dois meses do ano, e o PSI (Programa de Sustentação do Investimento) explicam grande parte do bom resultado do período.

O PSI, aliás, também contribiu para alta de 27% nas aprovações feitas pelo BNDES no bimestre, que somaram R$ 18,8 bilhões, sendo R$ 9,7 bilhões do programa.

O BNDES também revela dados sobre enquadramentos e consultas, que sinalizam a demanda das empresas por recursos. No caso dos enquadramentos, o BNDES registrou um montante de R$ 23,7 bilhões, em um crescimento de 18% sobre o primeiro bimestre de 2010. Já as consultas, no total de R$ 24,6 bilhões, apresentaram uma pequena queda de 5%, sobretudo pelos investimentos dos setores rodoviário e de energias alternativas registrados nos primeiros dois meses do ano passado.

Setores
O setor de infraestrutura respondeu por 41% dos desembolsos do BNDES no primeiro bimestre do ano (total de R$ 7,1 bilhões), com destaque para as liberações à energia elétrica. Já a indústria teve 32% do total liberado pelo banco no período (R$ 5,5 bilhões). Comércio e serviços ficou com 18% do total (R$ 3,1 bilhões) e agropecuária com 9% (R$ 1,5 bilhão).

Dentro da indústria, material de transporte, química e petroquímica e indústria extrativa mantiveram posição de liderança entre os desembolsos. O comportamento é resultado também do PSI, que contribuiu para a expansão dos investimentos em máquinas e equipamentos, ônibus e caminhões. Desde o início do programa, em junho de 2009, até fevereiro deste ano, o PSI desembolsou R$ 95,6 bilhões, sendo R$ 38,3 bilhões no financiamento a ônibus e caminhões.
 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Judeus reclamam do uso de símbolos por Bolsonaro

BRASIL

Moro autoriza envio da Força Nacional para combater desmatamento

BRASIL

Evangélicos cobram transferência de embaixada em Israel

Caminhão derrama agrotóxico em rodovia e 'pinta' pista de vermelho
BRASIL

Caminhão derrama agrotóxico em rodovia e 'pinta' pista de vermelho

Mais Lidas