Quinta, 22 de Fevereiro de 2018

DOURADOS

Microdestilaria de etanol começa a operar este mês

19 JAN 2011Por DA REDAÇÃO13h:12


A partir deste mês de janeiro, o Cetec Senai Dourados passa a contar com uma planta didática de microdestilaria de etanol para atender a demanda de formação de profissionais do setor sucroenergético em Mato Grosso do Sul. A mini-usina será entregue pelo presidente da Fiems, Sérgio Longen, na próxima segunda-feira (24/01), durante cerimônia marcada para as 10 horas no Sesi de Dourados.

A mini-usina reproduzirá, em escala duas mil vezes menor que uma usina normal, todo o processo industrial de processamento e destilaria de etanol, englobando todas as etapas de produção do etanol. Com investimento da ordem de R$ 800 mil, incluindo o custo da construção da microdestilaria de etanol pelo Senai de Alagoas e os recursos gastos na ampliação da área do Cetec Senai Dourados para abrigar a mini-usina, a planta facilitará a qualificação de trabalhadores.

“Mato Grosso do Sul tem atualmente em operação 20 usinas de açúcar e álcool, que empregam em torno de 56 mil trabalhadores. Além disso, devem entrar em funcionamento ainda neste ano mais três plantas, o que exige um aumento no número de profissionais capacitados e o Sistema Fiems está atento a essa necessidade do segmento”, reforçou Sérgio Longen.

Já o diretor-regional do Senai, Jaime Verruck, informa que a microdestilaria será utilizada em cursos e treinamentos nas áreas de qualificação profissional, habilitação profissional, aperfeiçoamento profissional e aprendizagem industrial, além de contemplar os STT (Serviços Técnicos e Tecnológicos) do setor sucreoenergético. Ele ressalta que os profissionais formados pelo Cetec Senai Dourados terão um diferencial competitivo para que possam atuar no mercado de trabalho, agregando valor aos cursos e serviços já oferecidos hoje pela instituição em todo o Estado no setor sucroenergético.

O gerente do Cetec Senai Dourados, Gilberto Schaedler, destaca que, entre as facilidades, a microdestilaria de etanol dispensará as visitas técnicas nas usinas. “O aluno aprenderá todo o processo produtivo do etanol da mesma forma que em uma usina convencional, mas em menor proporção”, comentou, completando que a planta também poderá ser deslocada até o local de trabalho para treinamentos dos funcionários das usinas instaladas no Estado.
 

Leia Também