Campo Grande - MS, quarta, 15 de agosto de 2018

COPA DO MUNDO

Metade das obras estão atrasadas

20 ABR 2011Por g114h:18

O ministro das Cidades, Mario Negromonte, disse nesta quarta-feira (20) que seis das 12 cidades brasileiras que irão sediar a Copa do Mundo de 2014 estão com obras necessárias ao campeonato atrasadas. “Nossa parte [da União] é mobilidade urbana e vamos ter que ter a responsabilidade de levar o torcedor até a catacra. São 12 capitais sedes da Copa. Boa parte está com problema. Eu diria meia dúzia”, disse, durante cerimônia de formatura de novos diplomatas, no Itamaraty.

'Não vamos passar vergonha', diz ministra sobre aeroportos Negromonte admitiu ainda que será preciso aumentar o ritmo de trabalho para concluir todas as obras que viabilizarão o mundial. “Nós estamos monitorando essas obras, mas muitas têm problemas jurídicos, ambientais, problemas de licitação. Tem gargalos que estamos desobstruindo. Depois que iniciar essas obras, vamos ter que trabalhar de manhã, de tarde e de noite para avançarmos", afirmou.

Segundo o ministro, a “única certeza” do governo é a de que a Copa tem data certa para ser realizada. “Existe uma preocupação de que não vai trazer prejuízo para o andamento das obras. A única certeza que temos é que a data da Copa não pode ser adiada".

Ele defendeu a flexibilização das regras de licitação para acelerar a concretização dos projetos necessários ao campeonato. “Temos que diminuir esses gargalos e simplificar normativas, procedimentos e a burocracia para que possamos avançar”, disse.

Negromonte negou que desburocratizar o processo de licitação possa encarecer obras e facilitar irregularidades. “Pode-se simplificar sem perder de vista a lisura e o padrão de seriedade e de ética. Queremos a obra pronta sem passar por cima das leis. O Ministério Público, o Tribunal de Contas da União e a Controladoria-Geral da União vão fiscalizar”, defendeu.

Um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), divulgado na semana passada, apontou que ao menos 9 dos 13 aeroportos brasileiros que estão em obras para a Copa de 2014 não devem estar prontos a tempo de receber o evento.

Leia Também