Segunda, 19 de Fevereiro de 2018

Meta é imunizar 805 mil bovinos neste mês

1 OUT 2010Por VERA HALFEN00h:00


A vacinação contra a febre aftosa, que começa hoje e segue até dia 31, na  Zona de Alta Vigilância (ZAV) de Mato Grosso do Sul, vai imunizar 805 mil bovinos e búfalos. A ZAV compreende uma faixa de 15 quilômetros na fronteira do Estado com o Paraguai e a Bolívia. Esta é a segunda etapa e os estados da Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Roraima também fazem parte da campanha. Em Rondônia, o período vai de 15 de outubro a 15 de novembro. Ao todo, serão 17,3 milhões de animais que devem ser imunizados.
Hoje, 89% dos bovinos e búfalos estão em áreas consideradas livre de febre aftosa com ou sem vacinação. No País, 14 estados e o Distrito Federal possuem o status de zona livre com vacinação: Acre, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, São Paulo, Sergipe e Tocantins.
O centro-sul do Pará (46 municípios) e as cidades de Boca do Acre e Guajará, no Amazonas, apresentam a mesma classificação. Os demais estados da região Nordeste e o nordeste do Pará são considerados como de médio risco para a doença; Roraima e noroeste do Pará, como de alto risco; e Amazonas e Amapá, de risco desconhecido. Santa Catarina é a única unidade da federação reconhecida pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como livre de febre aftosa sem vacinação.
“Essa ação é muito importante para a proteção do rebanho contra a doença, contribuindo para manutenção e ampliação das zonas livres de febre aftosa com vacinação no País”, explica Plínio Lopes, coordenador do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (Pnefa) do Ministério da Agricultura.
A febre aftosa é uma doença altamente contagiosa, que causa febre e vesículas (bolhas) na boca, narinas, focinho, tetas e pés dos animais de casco fendido. As principais espécies suscetíveis são bovinos, búfalos, ovinos, caprinos e suínos, podendo também ser acometidos veados, cervos e camelos.    

Leia Também