SUPERLOTAÇÃO

Mesmo com Unei reformada, juiz recusa de 4 a 5 menores infratores

Mesmo com Unei reformada, juiz recusa de 4 a 5 menores infratores
07/04/2011 13:35 - VÂNYA SANTOS E EVELIN ARAUJO


Independentemente da reforma e do gasto em R$ 2 milhões na ampliação do prédio da Undade Educacional de Internação  (Unei) Dom Bosco, o juiz da Vara da Infância e Juventude Danilo Burin disse hoje de manhã, durante a apresentação à imprensa do prédio reformado, que chega a recusar de 4 a 5 pedidos de internação de adolescentes vindos do interior para a Capital. "Continuamos sem conseguir atender a demanda", disse o juiz.

Os 65 adolescentes serão transferidos amanhã do prédio da antiga Colônia Penal Agrícola, onde estava funcionando a Unei Dom Bosco provisoriamente, para o prédio reformado. Também foi anunciada pelo coordenador de medidas socioeducativas Hilton Vilassanti a inauguração da reforma da Unei de Dourados no mês que vem e em agosto a de Corumbá. A unidade de Três Lagoas ainda passa por licitação. 

O juiz Danilo Burin disse que a unidade contará com cinco projetos, já com convênios firmados, para ocupar os adolescentes da Dom Bosco. Eles cuidarão de uma criação de peixes, cinco vacas leiteiras, criação de frango caipira e horta hidropônica - cultivada em água - para abastecer esta e as outras unidades com os produtos finais. A quinta proposta é a reforma de cadeiras escolares. 

Para as meninas, foi firmado um convênio com a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) de um projeto de costura. A unidade feminina ganhou  três máquinas de costura industrial e tecidos de uma rede de supermercados.

Visitação

A direção da Unei Dom Bosco comunicou que a visita deste final de semana aos adolescentes está suspensa para que eles se instalem nos alojamentos. 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".