sexta, 20 de julho de 2018

ALMOÇO

Mesários trocam almoço por lanche

3 OUT 2010Por Vânya Santos13h:44

O reduzido número de restaurantes abertos neste domingo em Campo Grande obrigou muitos mesários a levarem lanches de casa e fazer uma rápida parada no expediente de trabalho para comer. Uma das reclamações de quem foi convocado para trabalhar nas eleições foi com relação a falta de local para comprar almoço, já que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) pagou a refeição do trabalhador em dinheiro. O valor este ano foi de R$ 20.

Convocadas para trabalhar no mesmo colégio eleitoral, mãe e filha levaram lanche de casa e, somente depois das 13h conseguiram deixar a sala de votação para comer no pátio da escola Raul Sans de Matos (Funlec), localizada no Bairro Monte Líbano. "O movimento não para dentro da seção e não dá para ficar muito tempo ausente. Então, a alternativa parar no máximo 20 minutos é comer um salgadinho gelado porque eu trouxe de manhã", revelou a estudante Paula Dias Silva, de 20 anos.

Trabalhando pela segunda vez em eleições, Paula explicou que a intensa movimentação na seção de votação a impossibilita de se deslocar até sua casa para almoçar. "Está muito corrido", ressaltou.

Assim como a estudante Paula, sua mãe Marinalva Dias, 42 anos, optou por fazer um lanche rápido diante da falta de restaurante aberto nas proximidades do colégio eleitoral, onde trabalhou pela primeira vez. "Tem gente que está indo no Comper para comprar salgadinho porque não tem restaurante aberto aqui perto. Aqui na frente tem um, mas está fechado", reclamou.

Leia Também