Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Mercedes lança primeiro híbrido do Brasil e versão especial do Smart

9 JUL 10 - 20h:29
Paulo Cruz com Autopress, São Paulo

Demorou. Mas, afinal, o Brasil entra para o seleto grupo de países que vendem carros híbridos, aqueles que funcionam com um motor elétrico e outro a combustão (gasolina) conjugados. O modelo que chega por aqui, inaugurando o segmento, é para poucos bolsos. O Mercedes-Benz S400 Hibrid custa US$ 253,5 mil – aproximadamente, R$ 460 mil.
O sofisticado sedã tem um complexo sistema que coordena um motor V6 com outro elétrico e custa US$ 253,5 mil – aproximadamente, R$ 460 mil.
No mesmo dia em que o S400 Hibrid foi apresentado, a Mercedes lançou também o Smart mhd. A versão vem sempre na cor “amarelo-canário” com uma faixa vertical trazendo um detalhe da bandeira brasileira sobre insólitas seis estrelas – cinco cheias e uma tão vazia quanto a promessa de título da seleção de Dunga. O preço oficial é de R$ 49.900. Mas a encomenda foi de 300 unidades e apenas 75 delas foram comercializadas nas três semanas anteriores à eliminação. Ou seja: são grandes as chances dos 225 Smart mhd restantes entrarem em promoção.
Mesmo sem prever qualquer desconto, a Mercedes buscou formar um preço atraente para o Smart. Mas a principal preocupação era obter bons índices de economia, até para justificar o principal argumento de marketing. Para isso, usa pneus de menor atrito, teve o peso aliviado em 20 kg e a potência do motor 1.0 foi reduzida de 84 cv para 71 cv na versão mhd, de micro hybrid drive ou micromovimentação híbrida. A sigla se refere ao sistema que gerencia o mecanismo start-stop do Smart – que está presente também no S400h. O mhd consiste em um gerador coordenado por uma série de sensores que substitui o motor de partida e o alternador. É ele quem permite o liga e desliga a cada imobilização do veículo. Apenas este sistema promove uma economia de até 8% no uso rodoviário e 20% no uso urbano. Segundo a Mercedes-Benz, ele é capaz de cumprir a média de 19,8 km/l no Smart mhd “Brazilian Edition”.
No caso do S400h, o sistema mhd funciona como um adicional ao sistema Hybrid, bem mais complexo. O motor a gasolina é o mesmo que equipa a E350, por exemplo. Trata-se de um 3.5 V6 de 279 cv de potência e 38,3 kgfm de torque entre 2.400 e 6 mil giros. Já o propulsor elétrico, que fica acoplado ao eixo que liga o volante do motor à caixa de marchas, fornece apenas 20 cv. Ou seja, agrega pouco mais de 7% de potência. Por outro lado, ele injeta nada menos que 16,3 kgfm, ou 42,5% de torque a mais no sistema. A diferença fica evidente nas arrancadas e retomadas, quando o sistema hybrid potencializa ou economiza o trabalho do motor a combustão. No total, o trem de força trabalha com 299 cv de potência e 54,6 kgfm de torque. Com esta margem de força e em conjunto com o sistema mhd, o S400h fica 19% mais econômico que o S350, que usa o mesmo propulsor V6, mas sem o sistema Hybrid.  A Mercedes pretende emplacar até o final do ano 60 unidades do S400h, ou cerca de 10 a cada mês.

Ao volante
Estar no comando de um Mercedes Classe S é bem divertido. Mas dirigir uma S400h é bem mais. Na hora em que os 16,3 kgfm de torque extras do motor elétrico são injetados, de uma só vez, todos a bordo recebem um “coice”, devidamente amortecido pelo bancos, que mais parecem poltronas – os dianteiros têm, além de todas as regulagens possíveis, aquecedor e massageador de costas. Em números apontados pela marca, o zero a 100 km/h é cumprido em 7,3 segundos e a máxima fica nos 250 km/h graças ao limitador eletrônico de velocidade. O motor 3.5 V6 é gerenciado por um câmbio G7-Tronic, de sete marchas, com mudanças através de borboletas no volante.
A personalidade agressiva do S400h durante as acelerações e retomadas faz até esquecer que se está a bordo de um carro tradicionalmente sóbrio e conservador. Mas basta enfrentar situações mais corriqueiras, como trânsito urbano ou velocidade de cruzeiro numa rodovia, para o velho caráter do sedã alemão reaparecer: o mundo fica do lado de fora, quase incomunicável, isolado por uma capa de silêncio e conforto. 
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Prefeitura inicia aplicação de borracha em pista do Ayrton Sena
CAMPO GRANDE

Prefeitura inicia aplicação de borracha em pista do Ayrton Sena

Rotatória da Rua da Divisão dá lugar a semáforo
CAMPO GRANDE

Rotatória da Rua da Divisão dá lugar a semáforo

Marum diz que será 'general de guerra' em campanha de Puccinelli
DE OLHO EM 2022

Marum diz que será 'general de guerra' de Puccinelli

RETOMADA DE OBRAS

Governo de MS e futuros donos da UFN3 se reúnem nesta tarde para definir datas

Petrobras e russos já realizaram conversa pela manhã

Mais Lidas