Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

Mercado financeiro espera a manutenção da taxa de juros

31 AGO 10 - 08h:25
Kelly Oliveira, Agência Brasil Analistas do mercado financeiro consultados pelo Banco Central (BC) esperam pela manutenção da taxa básica de juros, a Selic, na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), marcada para hoje e quarta-feira (1º). Atualmente, a Selic está em 10,75% ao ano. Neste ano, o Copom elevou a taxa básica de juros em abril (de 8,75% para 9,50% ao ano), em junho (para 10,25% ao ano) e em julho (para 10,75% ao ano). Para o final de 2011, os analistas mantêm a projeção de 11,50% ao ano, segundo o boletim Focus, divulgado ontem. O Banco Central eleva os juros básicos quando considera que a trajetória de inflação é de alta, em ambiente de economia aquecida. A Selic é um instrumento de controle da inflação, que tem meta para este ano e 2011 de 4,5%, com limite inferior de 2,5% e superior de 6,5%. Cabe ao BC perseguir essa meta. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi o escolhido pelo governo para acompanhar a meta de inflação. Na estimativa dos analistas, esse índice deve ficar em 5,07% neste ano, contra os 5,10% previstos na semana passada. Para 2011, a estimativa oscilou de 4,86% para 4,87%. Para os dois anos, portanto, as projeções estão acima do centro da meta de 4,5%. O boletim Focus também traz a estimativa para o Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe), que neste ano deve ficar em 4,99%, contra os 5% previstos no boletim anterior. Para 2011, a projeção permaneceu em 4,53%. A estimativa para o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) foi alterada de 8,50% para 8,49%, neste ano, e permaneceu em 5%, em 2011. A expectativa para o Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M) neste ano continua em 8,56%. Para o próximo ano, oscilou de 5% para 5,01%. A projeção dos analistas para os preços administrados passou de 3,60% para 3,55%, em 2010, e foi mantida em 4,80%, em 2011. Os preços administrados são aqueles cobrados por serviços monitorados, como combustíveis, energia elétrica, entre outros.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Aliados de 'Minotauro' estão entre presos do PCC fugitivos de prisão no Paraguai
FUGA EM MASSA

Aliados de 'Minotauro' estão entre presos do PCC fugitivos de prisão no Paraguai

Projeto auxilia na criação de hortas familiares em Campo Grande
HORTA URBANA

Projeto auxilia na criação de hortas familiares em Campo Grande

Rodoviárias têm fiscalização reforçada após fuga de detentos do Paraguai
FUGA EM MASSA

Rodoviárias têm fiscalização reforçada após fuga de detentos do Paraguai

Aos 73, filha solteira de ex-deputado ganha pensão há 46 anos: 'Nunca dependi'
ABSURDO

Aos 73, filha solteira de ex-deputado ganha pensão há 46 anos: 'Nunca dependi'

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião