Mensagem falsa diz que WhatsApp será cobrado

Mensagem falsa diz que WhatsApp será cobrado
05/09/2012 11:30 - tech


Durante esta semana diversos usuários do aplicativo WhatsApp começaram a receber uma notificação que afirma que o app deixará de ser grátis caso não seja usado com frequência. A nota, mesmo sendo falsa, tem gerado dúvidas e continua sendo compartilhada por grande parte dos usuários.

A mensagem usa a fórmula básica das “correntes de e-mail”, e pede para que os usuários repassem a informação para um número específico de contatos. "Entre sexta e sábado que vem o Whasapp começa a ser cobrado a não ser que você use com frequencia. Se tiver pelo menos 10 contatos encaminhe esta mensagem e a logo vai ficar vermelha, indicando uso frequente", diz o viral falso.

Mensagens do gênero são fáceis de serem identificadas como mentiras, pois em geral contém erros de gramática e solicitam que o usuário envie para outros contatos de sua lista. No caso desta notificação, ela existe desde o começo do ano, em inglês, e foi traduzida recentemente para o português a fim de fazer novas vitimas.

Não é a primeira vez que o WhatsApp é vítima de ações mal intencionadas. Há algumas semanas circularam aplicativos falsos com o mesmo nome do serviço que induziam os usuários do Facebook a clicarem em publicidades de um site externo.

O TechTudo alerta que não é possível que um aplicativo para smartphone passe a cobrar algo sem que o próprio usuário confirme. Se receber uma mensagem estranha de um desconhecido, não responda e bloqueie-o no WhatsApp. Caso receba esta mensagem de um amigo, avise-o de que ela é falsa e não precisa ser compartilhada.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".