Sábado, 17 de Fevereiro de 2018

Ribas do Rio Pardo

Menores que aterrorizavam Ribas já estão em Unei

7 DEZ 2010Por Vânya Santos03h:20

O juiz da Vara da Infância e Juventude de Campo Grande, Danilo Burin, deferiu o pedido de internação do casal de menores acusado de traficar drogas em Ribas do Rio Pardo, aliciar menores e aterrorizar moradores da cidade. De acordo com o promotor de Justiça do município, Daniel Pívaro Stadniky, o adolescente de 16 anos e a menor de 17 devem permanecer provisoriamente numa Unidade Educacional de Internação (Unei), na Capital, por 45 dias e, se for determinada aplicação de medida socioeducativa, os infratores ficarão internados por mais seis meses, sendo que este prazo poderá ser prorrogado.

O delegado do município, Reginaldo Salomão, explicou que o magistrado aceitou pedido de internação dos menores na última sexta-feira, sendo que a apreensão dos infratores ocorreu no fim da tarde do mesmo dia pela Polícia Civil. Ele explicou que o líder do grupo de adolescentes tinha uma audiência no Fórum de Ribas do Rio Pardo e achou que os agentes o estavam conduzindo para participar da sessão. "No Fórum ele recebeu a notícia de que estava sendo recolhido. Já a menina foi apreendida numa casa, no Bairro Jardim das Palmeiras", explicou.

Reginaldo Salomão contou que com a internação dos adolescentes, a expectativa é de pacificação, principalmente, no bairro onde eles atuavam. "A gente espera que volte a normalidade como era antes da chegada do menor. Vamos chamar os pais dos outros envolvidos e ver se a gente consegue fazer com que eles retomem o controle dos filhos", adiantou o delegado, esclarecendo que acredita que em três meses seja possível observar o resultado do trabalho da polícia e constatar o fim da onda de violência.

 Terror
De acordo com a polícia de Ribas do Rio Pardo, um garoto de 16 anos, que chegou a ameaçar de morte a própria mãe, se aliou a um tio de 33 anos e a namorada de 17 para fornecer drogas a usuários do município. Os traficantes aliciaram outros sete jovens, dentre eles um garoto com 17 passagens pela polícia e uma menina de apenas 13 anos.

Depois de conseguir uma arma de fogo, o líder do grupo tentou contra a vida de um desafeto, expulsou uma família da cidade e ameaçou vários moradores, que ficaram com medo e não registraram ocorrência.

Diante da falta de dinheiro para aquisição de droga, os quimiodependentes passaram a aproveitar a ausência dos moradores para invadir e furtar as residências. Conforme o delegado Salomão, nos últimos meses foram registrados aumentos no número de furtos em Ribas. (VS)

Leia Também