Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COLÔNIA PENAL AGRÍCOLA

Menores fazem rebelião com refém na Unei

Menores fazem rebelião com refém na Unei
03/09/2010 08:09 -


Vânya Santos e silvia tada

Internos da Unidade Educacional de Internação (Unei) Dom Bosco, que funciona provisoriamente na antiga Colônia Penal Agrícola (CPA), instalada na região do Núcleo Industrial, em Campo Grande, rebelaram-se ontem à tarde. Aproveitando o momento do banho de sol, cerca de 90 menores queimaram colchões e começaram a depredar o local.
Depois da intervenção da Polícia Militar, o movimento foi controlado, reiniciando-se logo em seguida, quando um grupo de aproximadamente 30 adolescentes tomou um outro interno como refém e passou a impedir a entrada dos policiais nos alojamentos. Equipes da Companhia Independente de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais (Cigcoe), Corpo de Bombeiros, 1º Batalhão da Polícia Militar e Companhia de Guarda e Escolta, totalizando 40 homens, estiveram no local.
Há uma semana os adolescentes protestavam na hora de voltar para os alojamentos, após o banho de sol, o que deixava o clima tenso na antiga CPA. Ontem, por volta das 14h30min, os internos da ala principal recusaram-se a entrar nos alojamentos e os agentes educacionais, cerca de 12, pediram ajuda dos policiais da Companhia de Guarda, que fazem a segurança externa.
No pavilhão, os adolescentes começaram a queimar os colchões. Um buraco foi aberto na parede, mas os militares chegaram antes que os menores conseguissem fugir. Quatro veículos dos bombeiros foram enviados ao local para debelar o incêndio. Policiais dispararam dezenas de tiros de borracha e bombas de efeito moral para conter os internos.
Uma equipe de negociadores da Cigcoe esteve na Unei  para dialogar com os rebelados, que exigiram a presença da imprensa para libertar o interno. A rebelião só terminou por volta das 20h.
De acordo com militares, os internos portavam chuchos – arma branca artesanal. Segundo informações de funcionários da Unei, os menores produzem as armas utilizando os arames de sustentação da estrutura das camas de concreto. Removidos para a antiga CPA em razão da interdição do prédio da Unei, na saída para Três Lagoas, os menores reclamam da localização da unidade, distância que estaria dificultando a visita dos familiares. Eles também reclamam da infraestrutura do local.

Felpuda


A continuar disparando tantas críticas ácidas contradizendo o seu partido, que em nível nacional ganhou até um ministério, político cá dessas bandas poderá ser colocado de escanteio e, se continuar nessa cruzada nada palatável para as lideranças, ser convidado gentilmente a “procurar o caminhão do qual caiu”, como se diz no popular. Os comentários são de que o dito-cujo age assim mais para ganhar holofotes. Esqueceu-se, pelo que se vê, que poderá ocorrer curto-circuito. Ui!