Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sexta, 16 de novembro de 2018

Menino albino sofre de síndrome rara que o impede de dormir

13 JUL 2012Por TERRA23h:00

O britânico Rio Vicary, de apenas um ano, sofre de uma rara doença genética que faz com que ele durma muito pouco. Ele tem a Síndrome de Angelman, o que significa que, provavelmente, ele não vá conseguir falar ou andar. Além de causar distúrbios de sono, a doença afeta o desenvolvimento intelectual. O menino também é albino, o que o deixou cego. As informações são do site do jornal britânico Daily Mail.

Rio foi diagnosticado com a síndrome quando tinha apenas duas semanas de vida. Desde então, passou a maior parte da sua vida em hospitais, sendo monitorado por diversos médicos. Ele está recebendo tratamento especializado no Hospital Infantil de Sheffield. O apoio do serviço de saúde tem sido essencial para os pais do menino, Gemma e Wayne. "Como Rio não dorme e quer brincar o tempo todo, nós conseguimos ter uma trégua três vezes por semana. Sem isso, acho que não seríamos capazes de lidar com a situação", conta a mãe.

"Ele tem uma combinação de doenças, e nós só encontramos uma pessoa no mundo com as mesmas condições, uma menina de um ano na América. Nós rezamos que haja uma cura um dia", diz Gemma. O menino é alimentado via traqueostomia - com um tubo inserido em seu pescoço. O aparelho foi instalado depois que ele se engasgou com leite. A mãe, que estava sozinha, ligou para a emergência para pedir ajuda. Ela bombeou o peito do menino e conseguiu mantê-lo respirando normalmente até a ambulância chegar.

Gemma tem que verificar se o tubo está sempre limpo. "O tubo é um salvador de vidas. Ele tosse o tempo todo e precisa que eu faça a sucção com o tubo. Mas, em breve, ele deve tirá-lo, e então nós vamos ouvi-lo pela primeira vez", afirma a mãe do menino. Segundo ela, Rio será capaz de produzir sons, mas nunca vai poder falar. Agora, os pais do menino estão criando um quarto sensorial para ele em casa, para que ele possa passar mais tempo com seus irmãos, Cody, 7 anos, e Jayden, 4.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também